Gênesis: Esaú sofre e sente remorso após Judite ser atacada e ferida por homens durante fuga

A jovem não aceita o menosprezo e o novo casamento do amado com a egípcia Maalate


13 de julho de 2021

Foto: Reprodução Record TV/Montagem

O fanfarrão Esaú (Cirillo Luna) se encanta tanto com a egípcia Maalate (Lidi Lisboa), que resolve tê-la como nova esposa, em Gênesis. Quem não vai gostar nada disso são suas mulheres Judite (Juliana Lohmann) e Basemate (Paula Jube). Ao ver a tenda toda decorada para a noite de núpcias do amado, Judite fica depressiva. E ela toma uma decisão: fugir. Sem que ninguém perceba, ela pega alguns objetos e sai, à noite. Desnorteada, ela caminha no centro de Hebrom, em meio ao movimento do comércio.

Judite vê um mercador e pergunta se ele pode levá-la para longe dali. “E o que eu ganho com isso?”, pergunta ele. A moça tira um saquitel de dentro da roupa e pega um siclo de prata. Mas o mercador percebe que ela tem mais pratas, se aproxima e tenta pegar o saquitel dela. Judite reage, mas leva um tapa na cara. Quando ele vai fugir junto com o seu ajudante, ela grita que eles vão pagar por isso, pois é esposa de Esaú. “Não, se ele não souber o que aconteceu”, diz o homem, possesso. Nisso, ele pega uma adaga e enfia na barriga de Judite, que cai.

DEPOIS DE UMA PRIMEIRA VEZ NADA ANIMADA COM MAALATE, ESAÚ SE DESESPERA AO SABER QUE JUDITE FOI ATACADA E FERIDA POR HOMENS EM FUGA

A sorte da moça é que seu pai, Beeri (Ademir Emboava), passava por ali naquele momento. Ele corre até a filha, a pega nos braços, e ela desfalece. Ao chegar no acampamento, a jovem é cuidada por Rebeca (Martha Mellinger), Débora (Alice Borges) e depois amparada por Basemate. Enquanto isso, Esaú tem a sua primeira vez com Maalate. Mas não sai como ambos esperavam e eles se alfinetam. Já na manhã seguinte, mal-humorado, o fortão deixa sua tenda e segue para tomar café da manhã, faminto. Lá, ele fica desesperado quando lhe contam o que aconteceu com Judite.

O rapaz corre até a tenda de suas esposas. Quando ele chega, estanca diante do leito da amada. Basemate o olha, com raiva. “A culpa é toda sua... Ela tentou te dizer que não ia conseguir te ver casado com a egípcia, mas você não acreditou. Se não fosse o Beeri a encontrar a pobre coitada...”. Esaú se sente mal e realmente muito culpado. Angustiado, ele pergunta se ela tentou mesmo ir embora. Basemate diz que sim, penalizada. “Quando os homens que atacaram ela descobriram que ela era sua esposa, fizeram isso...”.

ESAÚ MOSTRA O SEU REMORSO AO VER O SOFRIMENTO DE JUDITE QUE TALVEZ NUNCA MAIS POSSA LHE DAR UM FILHO

Esaú fica com ódio. “Malditos, vou achar esses miseráveis e matar cada um com as minhas...”, diz ele, cortado por Basemate. Ela fala que agora não adianta. “Enquanto ela precisava da sua proteção, você tava onde? Se deliciando com a egípcia!”. O rapaz sente o golpe e faz carinho em Judite. “Por que você foi inventar de ir embora?”. Basemate conta ainda que Rebeca falou que por causa do dano que a adaga fez, é provável que Judite não consiga ter filhos. Esaú se choca ainda mais. À beira da cama, com os olhos marejados, ele fala com a esposa. “Judite, meu amor”.

Nesse momento, ela desperta, lentamente, e sorri. “Eu pensei que você tinha se esquecido de mim”, fala. Esaú pergunta o motivo de ela ter feito isso. “Eu não ia suportar viver sem você”, diz ela. O rapaz afirma que nunca a abandonaria. “Já tinha abandonado, Esaú. Só tava interessado na Maalate”. Esaú beija a mão dela. “Ainda bem que você não morreu”, fala. Judite afirma que seria melhor se tivesse morrido. Ele pede para ela nunca mais repetir isso. “Agora é que você nunca mais vai me querer mesmo! Não vou poder mais te dar filhos”, diz ela, que cai em prantos. Esaú olha para Basemate, penalizado, com um remorso e tanto.