Verão 90: O primeiro beijo de Manuzita e João em reencontro

Dupla que fez sucesso com a Patotinha se vê 10 anos depois


  • 28 de janeiro de 2019
Foto: Reprodução Globo


Na década de 80, João (Rafael Vitti), seu irmão, Jerônimo (Jesuíta Barbosa), e Manuzita (Isabelle Drummond) faziam parte do grupo infantil de maior sucesso da época, Patotinha Mágica.

Com o fim do grupo, e com a mãe dos meninos, Janaína (Dira Paes), e de Manu, Lidiane (Claudia Raia), brigadas, eles nunca mais se viram. Mas eis que 10 anos depois, Manuzita e João, que tinham se prometido ainda crianças, se reencontram.

Essa sequência vai ai ar nesta quarta, 30 de janeiro.

Veja o perfil dos personagens na nova trama das 7, Verão 90

Flávio Tolezani sobre os anos 90: “As coisas tinham o seu tempo”

JOÃO AO VER MANUZITA: “ TÔ SENTINDO QUE HOJE É O MEU DIA DE SORTE...”

O encontro entre eles é de forma inusitada, na estrada em direção a Armação do Sul, Santa Catarina. Só que o Fusca da jovem quebra, e quem para, com sua Brasília para ajudar, é João. Os dois se reconhecem e ficam impactados. “Não tô acreditando! É você mesmo?”, fala ele, que logo a puxa para um abraço. “Depois de tantos anos a gente se reencontrar assim, na estrada, indo pro mesmo lugar. Quer dizer, você tá indo, né? Eu tô tentando”, brinca ela, ao apontar para o seu Fusca pifado.

Logo João se prontifica a olhar o carro. Ele tira a camisa e vai levantando o capô. “Será que dá pra consertar?”, pergunta ela, meio desconcertada olhando para aquele gato sem camisa. “Pode ser. Tô sentindo que hoje é o meu dia de sorte”, fala ele. Sem conserto, o Fusca de Manu acaba rebocado pela Brasília de João. Durante o papo, o jovem conta que apresenta o programa de rádio Onda Cavada. “Já ouvi falar sim! É sobre surfe, né? Me disseram que é muito maneiro. Não acredito, João! Se eu imaginasse que o programa era seu. João Guerreiro radialista!”, fala ela.

“E você uma atriz!”, diz ele. “Tô na batalha ainda. Até tentei continuar como apresentadora, mas não deu certo. Mas é dureza, viu? Tô penando! Mas eu sinto... Não é porque a minha mãe diz, não. Eu sinto que minha estrela ainda vai voltar a brilhar... Acho que eu tô nervosa”, se dá conta ela. “Eu tô adorando te ouvir, saber de você”, fala ele, encantado. “Mas eu também quero te ouvir. E esses anos todos?”, pergunta ela.

João explica que guardou a grana do Patotinha para pagar a faculdade de Comunicação no Rio. E que seu sonho é transformar o programa de rádio em um de TV. “Nossa! Pensa grande o garoto!”, diz ela. Manuzita logo pergunta por Jerônimo, mas João faz cara de que não curte o assunto. E logo ele descobre que Lidiane ainda é empresária dela. “E que empresária! A mamãe fica tão ansiosa pra ajudar, que atrapalha, tadinha! Nem sei como vou contar pra ela que cortaram a minha cena em Tieta”, fala Manu. “Como é que alguém pode cortar uma cena sua?”, diz João.

MANUZITA MOSTRA O CORDÃO COM “J” QUE JOÃO LHE DEU NA INFÂNCIA: “EU CUMPRI A MINHA PARTE NO TRATO. EU NUNCA TE ESQUECI, JOÃO GUERREIRO”

O clima de romance já está no ar entre eles, até que João dá uma derrapada com o carro ao desviar de um cachorro, e a Brasília morre. “Acho que a gente vai ter que ficar por aqui até aparecer uma carona”, diz João, com todo o seu charme, após tentar em vão consertar o carro. Os dois ficam ali dentro conversando. E quando João vai abrir o porta-luva para pegar uma fita cassete, de repente cai uma caixinha com o anel que Manu havia deixado com ele ainda criança.

“Ele tá sempre comigo”, conta João. Os dois se encaram, e Manuela puxa o cordãozinho com o “J” de dentro da blusa. “Eu cumpri a minha parte no trato. Eu nunca te esqueci, João Guerreiro”, fala ela. “Que bom que eu também consegui cumprir a minha...”, emenda João. “Eu te encontrei, Manuzita”, fala ele, feliz. E ali mesmo, os dois se entregam e se beijam com paixão.

João acaricia Manuzita. “Você sabe quantas vezes eu sonhei que te reencontrava? Eu ficava imaginando... Como será que ele tá agora?”, diz ela. “Decepcionei?”, quer saber João. “Não! Seu bobo! Você continua um gatinho!”, sorri ela. “E você conseguiu ficar ainda mais linda. Agora que eu te achei, minha Manuzita, não vou te deixar sumir nunca mais”, promete ele. E o clima entre os dois começa a esquentar. “Tô achando que a essa hora não vai aparecer ninguém... Vamos ter que passar a noite aqui”, fala ele.

João se empolga, vai avançando, beijando mais, até que Manuzita o breca. “O que que foi?”, pergunta ele. “É que a gente mal se conhece... Quer dizer, a gente se conhece há anos, mas... Sei lá, é como se a gente tivesse se conhecendo de novo, né? Ai, João! Eu não quero que você me ache careta!”, diz ela, agoniada. “Eu acho que você é linda. Vai ser difícil passar a noite do lado de uma gata assim e me comportar, mas eu já tô feliz demais de você estar aqui comigo”, admite ele. E os dois pegam no sono e dormem agarradinhos.



Veja Também