Valentina Herszage: “O que levei da Hebe e tento praticar é não me anular e ter coragem sempre”

Atriz fala da experiência de viver a estrela na fase jovem em minissérie que estreia na Globo


  • 22 de julho de 2020
Foto: Reprodução Instagram


Aos 22 anos, Valentina Herszage agarrou como nunca um novo desafio na carreira: o de interpretar uma das nossas maiores estrelas da televisão, Hebe Camargo. E fez bonito! A atriz dá vida à artista na fase jovem, na minissérie Hebe, com estreia no dia 30 de julho, logo após Fina Estampa, na Globo. Ao dividir o papel da apresentadora com Andrea Beltrão, ela tem dificuldade em citar um aprendizado que levará para sempre da vida da comunicadora.

Segundo Valentina, que estreou na TV em Pega Pega, em 2017, serão muitos os ensinamentos, mas o principal é nunca abaixar a cabeça e não pedir licença para existir. “E se divertir, acima de tudo”, lembra a atriz, que tem feito muito cinema. Ela está no elenco dos filmes Raquel 1.1, Homem Onça e The Seven Sorrows of Mary, sem data definida ainda para lançamento.

Criada e escrita por Carolina Kotscho, com direção artística de Maurício Farias e direção de Maria Clara Abreu, a trama original Globoplay aborda passagens como a necessidade de Hebe de se impor para ser respeitada dentro dos ambientes profissionais, além dos embates frequentes dentro de casa com os maridos, na tentativa de passar por cima de ciúmes e de posturas machistas e agressivas.

Hebe (Valentina Herszage). Foto: Globo/Fábio Rocha

Quais os momentos mais marcantes da sua parceria e troca com Andrea Beltrão nos bastidores da série? Nosso início, de cara, já foi muito marcante. Eu assisti a quase todas as filmagens da Andrea para o longa e depois, quando comecei a minha preparação, ela embarcou comigo para que pudéssemos construir, de forma dinâmica, essas duas Hebes, com a ajuda das nossas preparadoras maravilhosas Marina Salomon, Íris Gomes e Cris Delanno. Juntas, pensamos em ações, danças, referências, os sons das falas, a musicalidade da Hebe, a gargalhada, foi demais. Nos divertimos muito. Andrea sempre foi a minha atriz-inspiração e cresci muito podendo assistir ela trabalhar de perto.  
 

O que acha que vai levar de Hebe para sua vida e o que de emprestou de Valentina à sua interpretação?Sei que nós, atores, gostamos de dizer o quanto somos diferentes dos nossos personagens. Mas dessa vez é hiper para valer. Eu sou extremamente diferente da Hebe. Acho que o que emprestei de mim para ela foi uma certa espontaneidade, uma curiosidade jovem, por ter mais ou menos a idade entre todas as idades que fiz ela. Tinha 20 anos e fiz ela dos 14 aos 28. Também a paixão pela música, pelo cantar. O que levei comigo e que tento praticar mais é saber me colocar, não me anular e ter coragem, sempre.

As "Hebes" Andrea Beltrão e Valentina Herszage. Foto: Globo/Fábio Rocha

Se você pudesse escolher uma lição que todo mundo deveria aprender com Hebe, qual seria? Acho que uma lição importante de aprendermos com a Hebe é de não abaixar a cabeça e não pedir licença para existir. Se divertir, acima de tudo. Ocupar o espaço que você deseja, ir atrás, tratar os outros com gentileza, com generosidade. Ai, são tantas coisas!

Por que o público deve assistir à série Hebe? Hebe deve se tornar o compromisso número 1 das noites de quinta-feira porque a série é divertida, emocionante e traz curiosidades maravilhosas sobre a vida dessa mulher gigante que foi Hebe. Carolina Kotscho arquitetou cada capítulo para que os olhos brilhem do início ao fim. 

Andrea Beltrão vive Hebe: “Exuberante, solar, e ao mesmo tempo insegura, avançada e conservadora”

Gloria Pires revê sua vilã Maria de Fátima: “Me levou a outro patamar profissional”

 



Veja Também