Pedro Novaes: “O amor cura, pacifica. Precisamos falar de amor”

Ele vive o protagonista Filipe na nova Malhação, e diz o que aprende com pais famosos


  • 16 de abril de 2019
Foto: Globo/João Cotta


Por redação

* Entrevista completa disponível em vídeo, abaixo.

Quem tem a oportunidade de conversar um pouquinho com Pedro Novaes, de 22 anos, logo se apaixona. Ele é aquele jovem simples, tranquilão, educado e sem frases prontas. Não faz tipo! E nem parece ter nascido em berço estrelado, já que é filho dos atores Marcello Novaes e Letícia Spiller, ambos no ar em O Sétimo Guardião. O certo é que a partir de hoje, o ex casal vai pode se orgulhar ainda mais de seu menino.

Pedro estreia nesta terça, dia 16, como o protagonista Filipe, em Malhação: Toda Forma de Amar. “O que mais me instiga no personagem é a maneira com que ele lida com o outro. E é uma forma também de amar o ser humano”, diz o ator, baterista da banda Fuze.

O personagem viverá um grande dilema: ele vai se apaixonar por Rita (Alanis Guillen), mãe biológica de sua irmã caçula, criada com muito amor por seus pais Lígia (Paloma Duarte) e Joaquim (Joaquim Lopes). A jovem fará de tudo para ter a guarda da filha que nunca conheceu.

Filipe (Pedro Novaes). Foto: Globo/Estevam Avellar

Como é o Filipe?

Um cara muito sentimental, correto, não que ele não tenha problemas, mas é um cara centrado e se preocupa muito com o ser humano. É um jovem adulto, um cara profundo, tem uma visão à frente dos jovens da idade dele. Ele preza muito a família, coloca o amor na frente de tudo. E tem outras coisas que a gente vai revelar durante a trama.

 

 

No desenrolar da história, ele acaba se apaixonando pela Rita, mãe biológica da irmã do Filipe. Como acha que ele vai encarar essa situação?

Eu acho que será um conflito grande para ele. Ele vai se apaixonar pela mãe biológica da irmã dele. Não é que ele vai deixar de amar a família, mas ele também vai estar vivendo algo intenso com a Rita. Por mais que isso esteja está indo ‘contra’ a família dele, ele tem esse olhar para o ser humano, acaba olhando para a Rita com esse olhar. Mas nem eu sei o que vai acontecer, estou esperando para viver isso na hora que tiver que ser.

Quais as dicas que você está recebendo do seu pai e da sua mãe?

Muitas dicas, eu posso sugar muitas coisas deles. Eu agradeço por ter eles como meus pais, porque eu posso agregar e aprender muita coisa com eles. O meu pai me dá mais conselhos técnicos, de posicionamento em cena, a minha mãe também me dá, mas ela tem um estado mais sentimental, mais espiritual da coisa. Os dois sempre me passam conselhos de zelar o respeito dentro da empresa e de você fazer o trabalho com verdade. Isso, entre milhões de coisas que não dá para falar tudo aqui. E eu absorvo tudo e tento fazer da melhor forma.

Você acha que toda forma de amar é válida?

Eu acho que o amor às vezes é uma coisa instintiva, que você nem percebe. Eu acho que falar de amor nesses tempos que estamos vivendo é muito importante, porque o amor cura, ele pacifica, ele junta pessoas. Os jovens estão carentes de amor, a gente precisa falar de amor, falar de toda forma de amar... Você tem que se deixar amar, muitas pessoas não se deixam amar.

Joaquim (Joaquim Lopes), Ligia (Paloma Duarte), Rita (Alanis Guillen) e Felipe (Pedro Novaes). Foto: Globo/João Cotta

 

 
 
 

 

Malhação: Toda Forma de Amar é lançada com “muito amor”

Giovanna Rispoli: “Lívia me trouxe força, como pessoa e atriz”



Veja Também