Paloma Bernardi sobre vídeos de poemas com Dudu Pelizzari: “Uma forma de deixar nossa arte viva”

Protagonista da série O Escolhido, atriz também lembra personagem “cega de amor” em Apocalipse


  • 26 de junho de 2020
Foto: Miro


Assim como a maioria das pessoas, Paloma Bernardi tem aproveitado a quarentena para se reinventar. E uma das formas encontradas pela atriz para manter a sua “arte viva”, ela tem mostrado em suas redes sociais. No projeto intitulado Mientras, ela declama poemas com o namorado, o também ator Dudu Pelizzari. E os vídeos com textos de autores como Clarice Lispector e Caio Fernando Abreu. têm emocionado o público. “Acho que não só no meio artístico, todo o mundo está buscando novas maneiras de se comunicar”, disse ela, em live no nosso Instagram, nesta quarta-feira, 25 de junho.

No bate-papo, Paloma também falou sobre carreira, família, religião, fama, idade, filhos...

ISABELA GUDMAN, DE APOCALIPSE – “A minha família, eu sou uma pessoa muito conectada com Deus, mas você, Paloma, tão conectada com Deus, na novela se casa com o diabo, como assim? (risos) A minha mãe dizia, minha filha, você vai pro inferno na novela, como assim? Mãe, vamos dividir as coisas, personagem é personagem, vida pessoal é vida pessoal. A vida da personagem foi muito intensa. A Isabela ali mostrou muito aquela mulher que sofre agressão psicológica, mental, emocional, física, por amor, cega de amor. E muitas mulheres vivem isso e estão em casa apanhando, nesse momento de pandemia está acontecendo muito. E não conseguem gritar socorro. Acham que aquilo é amor, tem alguma salvação e, às vezes, não. E essa novela foi bem marcante, fala do que a gente está vivendo agora. De uma forma ou de outra, é um apocalipse que está acontecendo, a gente tirou da bíblia passagens do texto do apocalipse que a gente vê aí, guerras, pandemias, invasão de gafanhotos. Tá tudo conectado mesmo.”

DECLAMAÇÃO DE POEMAS COM DUDU PELIZZARI“Eu e o Dudu, a gente está buscando uma maneira de deixar a nossa arte viva, de deixar isso borbulhando aqui. E olha, vou dizer, algo positivo dessa quarentena são realmente esses trabalhos. A gente tem declamado poemas, a gente foi buscando. Eu falei, meu amor, vamos fazer uns vídeos e postar, dividir com a galera. Aí a gente fez um texto da Clarice Lispector, do Caio Fernando Abreu. A gente começou com um que tinha tudo a ver com a pandemia, da Catherine O’Meara. E a gente vai fazer um em espanhol agora, eu estou fazendo aula. Então a gente está se exercitando, trabalhando a nossa mente. A gente gravou um clipe na quarentena, a gente tem feito promo de possíveis séries que possam surgir, série em podcast. Acho que não só o meio artístico, todo o mundo está se reinventando dentro das suas áreas, buscando novas maneiras de se comunicar, de se colocar a serviço daquilo que ama. Eu estava agora fazendo uma leitura com o Renatinho Góes.”

PROJETO MIENTRAS – “O nome do projeto é Mientras, porque o Dudu fala espanhol. E Mientras, vou abrir um segredinho pra vocês. Mientras significa “enquanto” e tem algo de “me entra”, então, enquanto a pandemia estava rolando, nós declamamos poema, nós fizemos arte, algo que nos entra, que nos transforma.”

Bruna Mascarenhas, a Rita de Sintonia: Atriz dá vida à jovem tragicômica em websérie autoral

Giselle Batista: “Toda mulher ainda esbarra no machismo e sabe bem como isso se apresenta”



Veja Também