Orgulho e Paixão: Ema revela a Ernesto que está grávida

Italiano chora abobalhado e diz que bebê será o mais amado do mundo


  • 13 de setembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


Quase no mesmo momento em que Elisabeta (Nathalia Dill) descobre que terá o seu primeiro filho com Darcy (Thiago Lacerda), Ema (Agatha Moreira) também descobre que está grávida de seu amor, Ernesto (Rodrigo Simas).

Em sequência que começa a ser exibida neste fim de semana, a Baronesinha sente enjoo, mas pensa que a comida não lhe caiu bem. Logo, tem a ideia de procurar Mariko (Jacqueline Sato). “Ema, meu coração! O que foi? Você está pálida e com cara de assustada”, diz a médica logo que a vê no corredor do hotel.

Ema cita alguns dos sintomas. “Estou do avesso. Um enjoo de matar! Acho que o almoço não me caiu bem, vim ver se você tem algum remedinho pra me dar. Mas não me venha com chás, infusões e seus exercícios de meditação. Quero algo que me livre rápido desse embrulho”, pede ela. “A médica sou eu, Ema! Me deixe te examinar no meu quarto. Vamos”, diz Mariko.

Orgulho e Paixão: Julieta pede Aurélio em casamento

Orgulho e Paixão: Elisabeta passa mal e descobre gravidez

ERNESTO: “UM FILHO DO CARCAMANO COM A BARONESINHA. VAI SER A CRIANÇA MAIS AMADA E FELIZ DO MUNDO”

Momentos depois, já em seu quarto na Fazenda Ouro Verde, Ema está pensativa, de olhos estatelados. Logo Ernesto entra e a beija. “Esposa, preciso te pedir perdão de novo. Por tudo que nos aconteceu. Quero que saiba que o problema nunca foi você. Mas eu! Esse selvagem abrutalhado. Ainda preciso melhorar muito...”, assume ele.

A Baronesinha também assume seus erros. “Eu também! Essa mimada afrescalhada. Se você é refém de seus desejos, esposo, sou vítima de meus caprichos. Mas agora precisamos correr para nos aperfeiçoar como adultos que somos”, fala ela. “Afinal, somos nós dois contra o mundo!”, emenda ele.

Mas Ema atesta, com uma novidade. “Três. E se formos atrapalhados com fraldas e alfinetes como somos com nossos temperamentos...”, fala a jovem. “Ema, não vá me dizer que...”, já prevê o futuro papai. “A vida tira e bota, Ernesto. Eu perdi tudo que tinha e achei você. Seu pai se foi e agora o ciclo se renova. Estou grávida! Tem um filho do nosso amor aqui! Pra mostrar que uma andorinha só não faz verão, meu amor!”, conta ela, emocionada.

Os olhos de Ernesto transbordam de lágrimas, e ele gira Ema no colo. O italiano fica ali, abraçado à barriga de Ema, chorando. Ele beija o ventre da amada, olha para ela e sorri, abobalhado. Ema acha graça. “Pode acreditar, meu carcamano. Tive uns sintomas estranhos e me consultei com Mariko”, explica ela.

E ele explode de felicidade. “Eu que já me gabava de ser o homem mais feliz do mundo por sermos o que somos. Agora tem uma miniatura de nós dois aí na sua barriga?”, diz. “E tenho certeza que essa dádiva se deu na nossa noite de núpcias. Porque ali aconteceu o maior e mais bonito encontro do universo!”, atesta ela.

Os dois se beijam.. E com as testas coladas, eles sentem suas lágrimas rolarem. “Um filho... Da Baronesinha com o Carcamano. Vai ser a criança mais amada e feliz do mundo. Não darei nem opção a ele do contrário!”, avisa Ernesto.

EMA E ELISABETA COMEMORAM A GRAVIDEZ: “NÃO ACREDITO QUE NOSSOS FILHOS VÃO CRESCER JUNTOS”

Depos de dar a notícia ao seu amor, Ema sai apressada do quarto, no mesmo instante que Elisabeta. As duas amigas se esbarram e assustam-se. E elas começam a falar ao mesmo tempo, sem pausa, sem nenhuma entender nada do que a outra diz. “Ema! Eu estava indo agora te contar...”, diz Elisabeta. “Elisa! Eu estava indo agora te contar...”, fala Ema.

“Você parece ansiosa, fala primeiro”, pede Elisabeta. “Te conheço quando fica aflita, fale você”, diz em seguida Ema. “O que eu tenho pra contar é emocionante!”, avisa Elisa. “Ah, minha notícia também é suculenta!”, devolve Ema. As amigas ficam naquele suspense. “Mas não vá desmaiar ou coisa parecida”, pede a esposa de Darcy. “Nem você vá se debulhar com a minha novidade”, fala a mulher de Ernesto.

Na inquietude das duas, Ema avisa. “Não estou podendo levar sustos!”. “Nem eu sofrer grandes emoções!”, responde Ema. “Porque me dá um enjoo...”, conta Elisa. “E fico um pouco zonza também...”, emenda Ema. “Sei como é! E o sono que dá?", fala Elisa. “Terrível, mal me aguento...”, completa a Baronesina.

Depois de falarem, falarem, as duas caem em si, encaram-se e sorriem, pasmas. E, ao mesmo tempo falam: “Estou grávida!”. As duas levam as mãos na boca, emocionadas. “Não acredito que nossos filhos vão crescer juntos, Ema!”, diz Elisa. “Na barriga e na vida! Vamos ser tias e mães ao mesmo tempo!”, atesta Ema.

E Elisabeta, lembra de uma conversa que tiveram há muito tempo. “E madrinhas! Ou já esqueceu o que prometemos uma à outra desde crianças?”, fala. E as comadres se abraçam, tocam uma na barriga da outra, entre risos e choro.



Veja Também