Orgulho e Paixão: Cecília desaparece para aflição de Rômulo

Jovem ouve piada da sogra por não conseguir engravidar e foge


  • 19 de agosto de 2018
Foto: Globo/Raquel Cunha


A insegura e sonhadora Cecília (Anaju Dorigon) vai dar um susto e tanto na família e no seu amor, Rômulo (Marcos Pitombo), em capítulo que vai ao ar no fim deste mês, em Orgulho e Paixão. Tudo por causa da implicância de sua sogra, Josephine (Christine Fernandes).

A jovem vai estar fazendo compras de tecido para os sobrinhos com a mãe, Ofélia (Vera Holtz), e as irmãs, quando surge a ardilosa Josephine. “Ah, ser tia é uma bênção! E agora, com essa sua dificuldade para engravidar, não é mesmo? É pelo menos um consolo!”, diz ela. “Do que a senhora está falando?”, pergunta Cecília.

Dissimulada, Josephine continua provocando a nora. “Ah, minha querida, desculpe. Não achei que esse assunto fosse te incomodar. O sonho de Rômulo também sempre foi ter filhos. Imagino que ele esteja assim como você: devastado! Mas não se preocupe, você é uma ótima esposa. Um filho seria o maior dos presentes para Rômulo, claro. Mas ele vai superar, meu bem”, afirma ela.

Os olhos de Cecília se enchem de lágrimas. E ela sai correndo, sem rumo. Quando percebe a cena estranha, Mariana (Chandelly Braz) pega o braço de Josephine e pergunta o que ela fez com a sua irmã. “Eu só disse a verdade à minha nora”, fala, com sorriso irônico.

Orgulho e Paixão: A dor de Elisabeta com Darcy inconsciente

Orgulho e Paixão: A reconciliação de Julieta e Camilo

RÔMULO DESESPERADO COM O SUMIÇO DE SUA AMADA

Todos ficam preocupados e saem à procura de Cecília. Mariana vai até o consultório de Rômulo (Marcos Pitombo) avisá-lo do ocorrido. Ele sai desesperado, e sua irmã Fani (Tammy Di Calafiori) vai junto.

Enquanto isso, Cecília anda por um lugar lindo e fala sozinha. “Não é justo... Sempre sonhei ser mãe... Rômulo seria um pai tão maravilhoso”, constata. Nisso, meio zonza e chorando, ela pisa em um monte de folhas e cai num buraco escuro. Ela machuca o pé, tenta sair dali, mas não consegue. E grita por socorro.

Rômulo vai com Fani e Mariana até a casa da árvore. Depois, seguem para o bosque. No buraco, Cecília está deitada, quando aparece um vaga-lume. Em seguida, vários a cercam e a iluminam. Ela fica em pé, no centro do buraco, numa imagem de conto de fadas. Nisso, Rômulo, que caminha nervoso, avista luzes saindo do buraco. “Cecília”, grita ele.

A moça continua em transe, cercada pelos vaga-lumes. Até que eles voam para fora, e ela desperta. “Rômulo?! Estou aqui embaixo! Eu caí! Não consigo sair!”, explica ela. “Cecília! Graças a Deus! Vou te tirar daí. Dá a mão, vou te puxar... Vem!” , diz ele. Quando consegue resgatá-la, os dois se abraçam com muita força.

CECÍLIA: “NÃO POSSO TE DAR FILHOS, É O SEU SONHO, EU SEI”

Ainda abraçados, Rômulo pergunta porque ela fugiu dele, e pede que nunca mais faça isso. “Não posso te dar filhos, meu amor, uma família. Era o que eu mais queria. É seu sonho, eu sei”, fala ela, chorando. “Meu sonho já foi realizado, meu sonho é você! Não me tira ele, por favor”, suplica.

Ainda chorando, ela fala. “Queria tanto ser mãe. Tanto!”, diz ela. “Você vai ser mãe! Sua condição dificulta a gravidez, mas não é impossível. E se não pudermos ter filhos biológicos, vamos adotar. Há tantas crianças precisando de um lar”, reitera o médico.

Emocionada, ela se declara. “Ah, Rômulo. Que sorte a minha ter você. Já você, não sei se pode dizer o mesmo de mim”, ressalta ela. “Não diga isso nunca mais. Esses minutos longe de você, sem saber onde estava, foi como se eu estivesse morto, entendeu? Morto! Vamos pra casa”, diz ele, com todo o seu amor, abraçando-a com força.



Veja Também