O Tempo Não Para: Waleska arrasada com falsificação do DNA

Ex guarda-costas se indigna com Coronela e pede desculpas a Mateus


  • 05 de novembro de 2018
Foto: Reprodução Globo


Os próximos capítulos não serão nada fáceis para a ex-Oficial da Marinha Waleska (Carol Castro). Mesmo não estando junto de Samuca (Nicolas Prattes), o até então pai de seu bebê, a ex-guarda-costas tentava curtir tranquila a gestação.

Tanto que antes de chegar na pensão da mãe, Coronela (Solange Couto), ela faz compras para o bebê. E nem de longe imagina o desgosto que terá com a mãe.

O Tempo Não Para: Samuca fecha rua para “sonho” de Marocas

O Tempo Não Para: Sabino ordena desculpas públicas à Carmen

CORONELA PARA WALESKA: “O PAI DO MEU NETINHO É O MATEUS. AQUELE MILICO QUE NÃO TEM ONDE CAIR MORTO”

Waleska chega, segurando uma sacolinha de roupas de bebê. “Oi, mãe, olha que coisa mais fofa eu comprei. Mateus?”, fala surpresa, ao ver Mateus (Raphael Vianna) ali. Logo, a jovem olha para Coronela, que está séria. “Tá tudo bem aqui?”, pergunta ela. “E então, a senhora fala, ou falo eu?”, Mateus pergunta à dona da pensão. E Coronela ali, lívida.

Logo, ela chama a filha para conversar a sós. “Então, filha. É que na verdade, o exame de DNA que você viu tava com uma alteração”, diz, tensa. “O que a senhora tá dizendo, mãe? Que alteração?”, preocupa-se Waleska. “Justamente, o nome do pai da criança... Tava trocado. O Samuca, ele devia ser o pai, como cê viu lá no papel. Mas o pai do seu filho é o Mateus”, conta.

Waleska parece ter levado um choque. “Não pode ser... Meu Deus do céu, isso é muito grave”, fala a ex-Oficial da Marinha. “Muito... Mas é verdade. O pai do meu netinho é o Mateus. Aquele milico que não tem onde cair morto”, fala Coronela, baixinho, alfinetando o rapaz.

“E omo a senhora soube disso? Eu vou ao laboratório tirar essa história a limpo. Eles não podem fazer uma coisa dessas”, indigna-se Wal. Coronela engole em seco. “Eles não fizeram nada, filha”, afirma ela. “Como não fizeram? Isso é um absurdo! Deve ser até crime! Tem que ter uma punição!”, ameaça a jovem. “Fui eu, filha”, admite Coronela mortificada.

WALESKA A MATEUS: “ESSA SITUAÇÃO É TÃO... NEM TENHO PALAVRAS. A GENTE PRECISA TER UMA CONVERSA, MAS ACHO QUE NÃO ESTOU EM CONDIÇÕES AGORA”

Waleska reage ali, incrédula. “A senhora?”. “Fui que mandei trocar os nomes no papel. Aquele exame de DNA que cê viu era falso”, revela a dona da pensão. “A senhora não fez isso...”, indaga Wal, muito abalada.

“Fiz. Eu queria muito que o Samuca fosse o pai. Eu sei que o que eu fiz foi muito errado, mas foi por uma boa causa. Sou uma boa mãe e uma avó zelosa. Eu só queria o melhor pra você e pro meu neto”, diz a cínica senhora. “Cala a boca por um minuto, mãe!”, interrompe Waleska.

“Minha filha, por favor, me escuta”, pede Coronela. E Waleska firme. “Um minuto!”. Coronela se encolhe, e a ex-segurança encara a mãe, em silêncio. “Eu esperava qualquer coisa da senhora. Qualquer absurdo que fosse, menos uma coisa assim”, diz ela, dura e magoada. E Coronela fica ali, arrasada.

Contida, Wal se dirige até Mateus, que esperava aflito pelo fim da conversa das duas. “Mateus... Eu sei que você merece uma satisfação. Eu peço desculpas”, diz ela. “Você não teve culpa de nada”, afirma ele. “Mesmo assim. Essa situação é tão... Eu nem tenho palavras. A gente precisa ter uma conversa, mas eu acho que não tô em condições agora”, fala ela.

“Fica tranquila. Eu entendo”, diz um afetuoso Mateus. “Prometo que a gente fala depois, tá?”, ressalta ela. “Claro, se precisar de alguma coisa...”, diz ele, respeitoso. “Obrigada”, agradece ela, totalmente arrasada.



Veja Também