O Tempo Não Para: Marocas ganha carinho de Carmen após “prisão”

Ao lado de Samuca, empresária diz que jovem trouxe paz, amor e confiança a ela e ao filho


  • 16 de janeiro de 2019
Foto: Reprodução Globo


Nosso casal #Samurocas se safou de mais uma. Após ser praticamente presa na Criotec por Petra (Eva Wilma) e Mateus (Raphael Vianna) para ser examinada, Marocas (Juliana Paiva) consegue ser liberada após estratégia de Samuca (Nicolas Prattes) e Dom Sabino (Edson Celulari).

Os dois armaram a maior confusão e chamaram o fofoqueiro Pedro Parente (Wagner Santisteban) para colocar no ar a história. E assim que é liberada, ela ganha o apoio e uma linda declaração da sogra, Carmen (Christiane Torloni).

Essa sequência está prevista para ir ar ar nesta sexta, dia 18 de janeiro.

O Tempo Não Para: Samuca propõe fuga à Marocas

O Tempo Não Para: Samuca atônito com pedido de Livaldo em carta

SABINO À MAROCAS: “MINHA FILHA, NÃO TENTE MAIS ENFRENTAR NADA SOZINHA, SEM AVISAR AOS SEUS”

Após o “resgate” de Marocas, Dom Sabino, Samuca e a estilista chegam no apartamento de Carmen. “Está tudo bem agora, Carmen”, tranquiliza Marocas. Carmen abraça a nora, carinhosa. “Querida, você também tem que peitar o mundo na raça toda vez que a coisa encrespa?”, diz. “Meu pai me ensinou a jamais recuar diante das ameaças”, responde a jovem.

“De quando em quando me arrependo desses ensinamentos”, brinca Sabino. Logo, Marocas diz que acha ter sido uma estratégia a sua liberação da Criotec. “A Vanda vai tá sempre postos. Afinal, eles não têm nada de concreto pra quererem arrastar vocês de volta praquele lugar, têm?”, pergunta. Marocas, que a esta altura já está sabendo do perigo do vírus que pode estar no sangue dos “congelados”, fica em silêncio.

Dom Sabino abraça Marocas. “Minha filha, não tente mais enfrentar nada sozinha, sem avisar aos seus”, pede. “Olha quem falando, não é, Dom Sabino? O senhor saiu aprontando por aí, e eu só fiquei sabendo pela televisão!”, indaga Carmen. “Ora, Carmen!”, pondera ele. “Não tem “ora, Carmen!””, fala ela, brava.

Samuca ri para Marocas. “Tô achando que alguém vai dormir no sofá”, brinca ele. Mas depois é a vez de Carmen dar uma dura no filho e na nora. “Vocês dois também se arriscam demais! Samuca sempre foi assim, desde garoto. Pegava cada onda gigante que eu achava que ele ia ser engolido pelo mar e nunca mais ser devolvido. Sorte dele que nadava bem”, constata a empresária.

CARMEN À MAROCAS: “VOCÊ TROUXE FELICIDADE PRA VIDA DO MEU FILHO, TROUXE PAZ, AMOR, CONFIANÇA... E PRA MIM TAMBÉM”

Marocas sorri. “Sorte a minha também. Foi assim que ele me resgatou naquele bloco de gelo”, lembra ela. “Isso é verdade, foi ali que tudo começou”, fala Carmen. “Nós trouxemos tanta complicação para a vida de vocês”, afirma Marocas. “Não. Vocês só nos trouxeram alegria. Você trouxe felicidade pra vida do meu filho. Você trouxe paz, amor, confiança... E pra mim também”, diz Carmen, terna, que dá um beijo na nora.

Em seguida, ouve-se a voz de Sabino. “Carmen, a água do escalda-pés esfriou. Pode me trazer mais um balde de água quente, por obséquio?”, pede. “Eu devo ter picado salsinha na tábua dos dez mandamentos...”, diz ela. Samuca brinca. “Será que a minha mãe tá virando uma esposa do século 19?”, pergunta ele à Marocas. “E eu porventura sou o quê, Samuel?”, responde a jovem, séria.

“Uma esposa do século 19 com espírito do século 21 e um marido apaixonado que sempre vai te proteger”, fala ele. “Que bonitinho, vocês homens se têm em tão alta conta!”, sorri a jovem. “Tem razão, não tá mais aqui quem falou... Mas eu ainda acho que tem alguma coisa que você não tá me contando”, desconfia ele. “Eu não quero esconder nada de você, meu amor. A doutora Helen me segredou algo enquanto eu estive lá..”, começa a contar Marocas.

“A doutora Petra encontrou dentro de nós um vírus. Algo que pode vir a se transformar em uma terrível enfermidade”, explica ela, deixando Samuca chocado. O empresário quer saber mais detalhes, mas eles são interrompidos por gritos dos pais... “Cáspite!!!”, fala Sabino, com as calças erguidas até os joelhos, pés descalços e canelas à mostra. “De onde veio essa água? Das entranhas do Vesúvio?”, fala.

“Você é tão antiquado que parece ter mesmo nascido em Pompeia!”, diz Carmen, irritada. “Carmen, por favor, eu poderia cozer legumes naquele balde!”, fala ele. “Boa ideia! Da próxima vez eu faço uma sopa com as suas batatas da perna!”, avisa ela. “Marocas, mostre à sua sogra como se faz um bom e tépido escalda-pés...”, pede o nobre. Mas a jovem e Samuca dão um jeito e escapam de fininho.



Veja Também