O Sétimo Guardião: Nicolau tenta conversa, Afrodite é irredutível

Machista deixa a casa, ela se demite do quiosque e vai trabalhar com Milu


  • 01 de fevereiro de 2019
Foto: Reprodução Globo


Parece que desta vez, Afrodite (Carolina Dieckmann) não dará nova chance a Nicolau (Marcelo Serrado). Ainda mais que ele a agrediu fisicamente na última discussão.

Quando ela está acabando de arrumar as malas, o dono do quiosque a chama para uma conversa.

Essa sequência irá ao ar no dia 7 de fevereiro.

O Sétimo Guardião: Sóstenes confronta filho, Murilo, por sumiço

O Sétimo Guardião: Nicolau agride Afrodite e ela decide se separar

AFRODITE A NICOLAU: “VOCÊ NÃO MANDA MAIS EM MIM. NÃO ME PRESSIONA, NÃO ME AGRIDE, NÃO DECIDE O QUE EU FAÇO...”

Bebeto (Eduardo Speroni) acaba de arrumar suas coisas também. “Arrumei o essencial como a senhora falou. Mas a gente vai pra onde, mãe?”, pergunta o jovem. “Pra pousada. Não tem outra opção”, diz ela. “E Diana, Cristiana? Não estão sabendo de nada”, lembra ele. “Só me ajuda a carregar essas malas agora. Com a Cristiana e a Diana eu resolvo depois”, avisa ela.

Quando eles estão pegando as malas, entra Nicolau. “Pousa essas malas, Bebeto”, ordena ele. “Se não o quê? Também vai bater no coitado?”, diz Afrodite. “A senhora não vai a lugar algum”, fala ele. “Você não manda mais em mim. Não me pressiona, não me agride, não decide o que eu faço...”, informa ela. “Para com o mimimi e vem no quarto conversar!”, pede. “Não perca seu tempo. Eu vou sair dessa casa”, afirma ela, séria. “Finalmente arrumou uma desculpa pra fazer o que quer: ficar solta no mundo, não é?”, diz ele.

“Você me bater é que não tem desculpa, Nicolau. E não vou ficar solta no mundo. Estou levando meus filhos pra cuidar deles como sempre fiz!”, fala ela. “Rivalda não vai com você. E os outros podem ir e dormir em colchões improvisados na pousada por uma ou duas noites. Mas logo vão se arrepender e voltar pra casa. Porque dinheir pra pagar vários quartos a senhora não tem!”, ressalta ele.

Afrodite perde a paciência. “Chega logo no fim desse teu discurso”, diz. “Quem vai sair de casa, sou eu! Você não vai inverter o jogo e se livrar de seus filhos! Vai ficar aqui cumprindo sua obrigação de mãe!”, afirma ele. “Quer sair? Ótimo! Já que estamos botando os pontos nos is, e o quiosque, como fica?”, pergunta ela. “Como sempre. Você vai trabalhar lá, só não me dirige mais a palavra”, informa ele.

“Esse “como sempre” pra mim não serve mais. Eu continuo trabalhando lá, sim, se você assinar minha carteira e me der minha parte do lucro”, avisa ela. “Você me mente, me engana e agora ainda quer me roubar? Senta e espera! Melhor, deita!”, fala ele, irônico. “Tudo bem, eu me demito então. Ache alguém pra lavar suas cuecas e os pratos no quiosque!”, avisa ela, que começa a arrumar as coisas dele para ele sair logo.

MILU PARA AFRODITE: “A MUDANÇA PODE SER TRANSFORMADORA”

Logo depois, Afrodite vai até a loja de Milu (Zezé Polessa). “Depois da demissão de sua filha e da visita que seu marido me fez... Imagino que sua vida esteja virada de cabeça pra baixo”, fala a esotérica. “Está. Mas vim aqui, porque acho que a senhora pode me ajudar a botar ela de pé de novo”, diz Afrodite.

“Tenho todo gosto em lhe ajudar, Afrodite. Só não estou vendo como...”, afirma Milu. “Me contrate para ocupar o lugar de Rivalda”, pede ela, surpreendendo a mística senhora. “Sei que deve estar surpresa. Mas preciso desse emprego pra começar do zero”, explica a mãe de Diana (Laryssa Ayres).

Logo Afrodite explica que largou o trabalho no quiosque, porque Nicolau não ia nem assinar sua carteira, nem dividir os lucros. “Saiu de casa e deixou as crianças comigo. Tudo mudou”, fala ela. “A mudança pode ser transformadora, Afrodite”, afirma Milu. “Quero acreditar nisso. Apesar do vazio que estou sentindo, da angústia, do medo... Por isso que preciso da senhora”, fala ela.

“Você sabe que o salário que eu pagava pra Rivalda não é aquelas coisas”, avisa a esotérica. “É o suficiente pra eu tocar a vida. Nicolau também vai ter que pagar pensão pros filhos. Eu tenho algumas poupanças... Só preciso de sua mão amiga”, diz ela. “Tem mais do que isso. Tem a minha confiança. Pode começar amanhã de manhã”, diz Milu.



Veja Também