O Sétimo Guardião: Eurico “nega fogo” e é cobrado por Marilda

Será que o castigo da Irmandade já começou a dar efeito?


  • 23 de janeiro de 2019
Foto: Reprodução Globo


Após ter traído a Irmandade de Serro Azul, parece que Eurico (Dan Stulbach) começa a pagar a punição.

E foi ele mesmo que escolheu: virar gato ou não ter mais desejo por mulher alguma.

Essa sequência irá ao ar nesta quarta-feira, dia 23 de janeiro.

O Sétimo Guardião: Castigo de Eurico é virar gato ou brocha

O Sétimo Guardião: Geandro não cede às investidas de Lourdes

MARILDA COBRA DE EURICO: “MEU EXCELENTÍSSIMO MARIDO ME REJEITOU NA CAMA PORQUÊ?”

Na Prefeitura, logo após ter que dar explicações para Valentina (Lilia Cabral) sobre o que teria acontecido ao fim da reunião da Irmandade, ele dá de cara com a mulher, Marilda (Letícia Spiller), que praticamente invade a sua sala. “Agora nós, Eurico...”, diz ela, ao entrar e fechar a porta.

Eurico finge que está arrumando papéis sobre a mesa. Mas logo Marilda se coloca diante dele “De manhã cedo e já trancado a sete chaves com a Valentina... Fazendo o quê?”, pergunta ela. “O que ela lhe disse! Tratando de assuntos urgentes e confidencialíssimos”, fala ele. “Está me achando com cara de paspalha?”, esbraveja a primeira-dama.

Nesse momento, Eurico fica transtornado e joga papéis para o ar, pega uns, rasga outros, e aí vai colocando os pedaços na boca, enquanto fala. “Não aguento mais a pressão das mulheres que insistem em atazanar a minha vida! Não quero nunca mais ver uma mulher na minha frente, fora com você, fora com Valentina, fora, fora, já! Vou manter distância de todas!”, avisa ele.

Marilda parece não entender nada. “E começou esse “fora” todo logo comigo?”, pergunta ela, que não para de falar. “Foi justamente por causa disso que vim até aqui. Pra lhe perguntar: meu excelentíssimo marido me rejeitou na cama porquê?”, indaga ela.

Eurico mostra-se em choque, mas Marilda insiste: “Nunca foi de negar fogo! E de repente, apesar dos meus esforços, ficou lá na cama cada vez mais encolhido. O que deu em você, me diz!”, quer saber ela. “Pelo amor de Deus, Marilda”, fala ele. “Eu quero e tenho o direito de saber!”, afirma ela.

É, pelo visto, os efeitos do castigo já começaram a aparecer...



Veja Também