O Sétimo Guardião: Aranha implora pelo perdão de Stella

Após tentativa de suicídio, ele tem nova conversa com a esposa


  • 20 de fevereiro de 2019
Foto: Reprodução Globo


Após tentativa de suicídio ao tomar de uma vez vários remédios tarja preta, Aranha (Paulo Rocha) é salvo por Milu (Zezé Polessa), que prepara um chá “vomitório” para ele.

Desesperada ao ver o estado do filho, Mirtes (Elizabeth Savala) até tenta implicar com a esotérica, mas fica na sua ao ver que só ela pode ajudar seu filho no momento. Logo depois Stella (Vanessa Giácomo), que está morando na pousada, é avisada.

O Sétimo Guardião: Walid dá lição em Rivalda no dia da luta de Diana

O Sétimo Guardião: Aranha tenta se matar após separação

ARANHA SOBRE TENTATIVA DE SUICÍDIO: “QUANDO VOCÊ SAIU POR AQUELA PORTA, MEU MUNDO DESABOU, STELLA”

Coube a Jurandir (Paulo Miklos) avisar do estado de Aranha para Stella. Imediatamente ela chega a sua antiga casa. E logo já é agredida por Mirtes. “Meu filho ficou nesse estado por culpa dessa miserável! A mim você não engana! Conseguiu convencer o Aranha a tentar o suicídio!”, acusa a beata. Stella permanece ali, imóvel, sem responder, olhando Aranha destroçado.

E Mirtes continua seu discurso de ódio. “Ou então jogou o vidro de remédio goela abaixo do coitado! Está esperando o quê pra prender essa criminosa?”, fala a malvada para o delegado Joubert (Milhen Cortaz), que também está ali. Nesse momento, após conseguir vomitar, Aranha retoma os sentidos. “Fui eu que tomei os comprimidos sozinho, por vergonha, culpa, remorso. Queria morrer!”, admite ele.

Mirtes fica possessa. “Ora, seja homem! Quer tirar a própria vida por causa dessa pinguça, desequilibrada?”, diz. “Pelo menos já não pode me acusar de ter o ventre seco”, rebate Stella. Logo, ela pede para falar a sós com Aranha. “Me perdoa, Stella. Me perdoa por ter mentido, por ter te feito acreditar que você não era uma mulher inteira! Me perdoa...”, pede ele. “Você já pediu perdão antes!”, diz ela.

“Mas vou continuar pedindo até que me perdoe de verdade. Você me deixa fazer isso? Por favor?”, implora ele.“Antes de qualquer conversa, você vai ter que me fazer uma promessa, Aranha... Não comete outra loucura igual a essa. Atentar contra a própria vida?”, diz ela. “Quando você saiu por aquela porta, meu mundo desabou, Stella. A angústia, a vergonha subiram do meu peito até à garganta, e isso me sufocou de um jeito”, conta ele.

O Sétimo Guardião: Stella deixa Aranha e se muda para a pousada

O Sétimo Guardião: Diana obriga Rivalda a deixar emprego

STELLA A ARANHA: “VOCÊ JOGOU UMA ONDA DE CEM METROS NA MINHA VIDA! NÃO VOU JUNTAR MEUS CACOS E TE ENTREGAR DE NOVO DE MÃO BEIJADA. NÃO AGORA!”

E Stella é dura nesse momento. “Isso tem um nome: sentimento de culpa. É natural que você se sinta assim”, emenda ela, mais doce. “Eu não falhei só como homem! Eu lhe traí, quando escondi a minha infertilidade, mas traí a mim mesmo também! E ainda quebrei o juramento que fiz como médico, quando forjei aqueles exames! Quando tudo isso atravessou minha cabeça como um trem bala. Me desesperei, entende?”, fala.

“Entendo. Me senti culpada desse jeito por anos achando que estava traindo você, a nossa família, por não poder te dar um filho”, diz ela. “Então você sabe o que eu estou sentindo”, fala o médico. “Sei. Por isso te digo que, nesse momento, você só tem uma opção: se acostumar a viver com esse desespero, com essa culpa. Esperar que o tempo faça seu trabalho e tudo isso ocupe cada vez menos espaço dentro de você”, aconselha ela.

“Então... Você não vai me perdoar, Stella?”, desespera-se ele. “Já te falei que preciso de tempo! Botar a cabeça no lugar, ver onde eu me acho no meio desse tsunami...”, explica. “Por que você não faz isso aqui? Na nossa casa, do meu lado! Apesar de tudo que eu fiz...”, pergunta ele. “Você jogou uma onda de cem metros na minha vida! Não vou juntar meus cacos e te entregar de novo de mão beijada. Não agora!”, diz ela.

“Não vou conseguir viver sem você. Não vou!”, fala ele, arrasado. “Vai ter que aprender! Por muito que me custe te ver nessa cama, destroçado, desamparado. Não posso esquecer de todas as vezes em que fui eu quem ocupou esse lugar! Não vou jogar de novo o que eu estou sentindo no lixo, só pra te fazer se sentir melhor!”, fala. “Eu só queria que a gente voltasse a ficar juntos. Mesmo que não fosse agora, depois... Quando você se achar no meio de tudo isso”, pede ele.

“Infelizmente, essa promessa eu não posso te fazer, Aranha. Tente achar seu rumo, que eu vou atrás do meu”, fala ela, que sai do quarto, e deixa o médico ali, devastado.



Veja Também