Malu Lázari sobre fim antecipado de Malhação: “Chorei muito, mas foi uma atitude nobre da Globo”

Atriz conta não ter nada de parecido politicamente com a conservadora Diana


  • 08 de abril de 2020
Foto: Danilo Fernandez


 

 

 

Na estreia em novelas na Globo, Malu Lázari entrou no meio de Malhação: Toda Forma de Amar, mas conseguiu mandar bem seu recado como a conservadora e religiosa Diana. “Ela reflete o nosso governo atual, principalmente”, avalia ela, que ressalta pensar muito diferente da personagem em relação à política. O fato da trama ter tido o fim antecipado, por conta do Covid-19, sem poder mostrar os desfechos dos personagens foi sofrido para o elenco. “Chorei muito, mas foi a melhor decisão tomada pela Globo”, avalia.

Aos 17 anos, a jovem natural de Joaquim da Barra, interior de São Paulo, se mudou para o Rio após logo passar no teste para Malhação. Agora, com o término das gravações, ela decidiu morar de vez na Cidade Maravilhosa. “Até já criei uma rotina no Rio, gosto muito da cidade”, conta. A ideia dela é agora continuar estudando e focando em novos projetos até realizar alguns dos sonhos, como contracenar com Gloria Pires ou com Cleo, com quem já foi comparada na adolescência pelos traços parecidos.

Como se preparou para dar vida à Diana? Passamos um mês fazendo preparação e aulas de fono. Eu observei algumas pessoas que já passaram pela minha vida e se pareciam com a Diana. Assim, peguei características delas que achava que poderia usar e deu certo.

Teve receio de entrar no meio da novela? Com certeza. O elenco e a produção já estavam familiarizados e eu entrei com o “bonde andando” (risos). Mas todos me receberam muito bem, mais do que eu esperava confesso.

O que você tem de parecido com ela? Em relação à política, nada. Mas em alguns pontos consigo achar semelhança, porque eu me estresso com facilidade e a Diana também (risos). Além disso, somos muito dedicadas.

Diana (Malú Lazari). Foto: Globo/Victor Pollak

Em suas redes sociais, você se mostra mais moderna. É mais fácil ou mais difícil viver um personagem tão diferente de si? É mais difícil, mas mais gostoso (risos). Exige mais estudo, mais aprofundamento e mais observação. Eu consegui pegar algumas características minhas e colocar na Diana e vice-versa, mas no geral, realmente somos bem diferentes.

Qual foi o impacto de sair de São Joaquim da Barra para morar no Rio? Eu não morava em São Joaquim da Barra já fazia um tempo. Me mudei para São Paulo com 15 anos. Portanto, a mudança foi de São Paulo para o Rio. E foi tranquilo, me adapto muito fácil em lugares novos... O mais difícil de sempre é ficar longe da minha família.

Você tem apenas 17 anos. Quando resolveu seguir a carreira de atriz? Desde os 8 anos eu fazia teatro, no interior mesmo. Depois comecei a fazer na capital. Meus pais sempre acreditaram muito em mim e me incentivaram. Eu tive a certeza que queria seguir essa carreira bem cedo, e logo já sabíamos que nós conseguiríamos.

Como reagiu ao adiantamento do fim das gravações? Foi um choque pra todos nós. Não esperávamos que o fim fosse adiantado. Entendi a necessidade e acho que, de fato, foi a melhor decisão tomada pela empresa. Uma atitude muito nobre da Rede Globo colocar a saúde dos funcionários em primeiro lugar. Mas, quando recebi a notícia, chorei muito. É muito triste se despedir mais cedo de um personagem. 

O que tem feito pra se proteger do Coronavírus? Estou seguindo as instruções do Ministério da Saúde. Eu e a minha família estamos ficando em casa, lavando as mãos sempre, usando álcool em gel e nos prevenindo o máximo possível.

Você começou a faculdade recentemente. Por que decidiu estudar direito? Sempre pensei em fazer direito. É uma área que eu gosto muito de estudar e aprender. Foi bem tranquilo. Priorizei e continuo priorizando meu trabalho, então nunca tive nenhuma dificuldade em conciliar os dois. Não pretendo seguir carreira no direito, pretendo continuar na minha área de atriz.

Foto: Danilo Fernandez

Como cuida da sua beleza? Nesses dias de quarentena estou sofrendo sem drenagem e corte de cabelo (risos). Eu gosto muito de cuidar do meu cabelo, manter o corte, hidratar e nutrir com frequência, mas confesso que sempre fui mais de frequentar salão do que de fazer em casa. E com a pele tenho uma rotina de cuidados, já faz um tempo. Faço limpeza, esfoliação, hidratação, uso de protetor solar diário...

Sonha em dar vida a algum personagem específico ou trabalhar com alguém? Meu sonho é fazer uma vilã na pegada da “Carminha”, de Avenida Brasil. Eu gosto muito de fazer vilãs e uma personagem nessa pegada seria incrível. Gostaria de contracenar com a Glória Pires ou com a Cleo, são mulheres que me inspiram e sempre me falaram muito sobre os meus traços semelhantes com os da Cleo em sua adolescência.

André Matarazzo: “Meu sonho há muito tempo é ser ator e ter o trabalho reconhecido pelo meu mérito”

Gabriel Santanta, de Malhação: “O amor de Cléber e Anjinha é raro e muito bonito”

 



Veja Também