Klara Castanho, do PopStar: “Estou me vencendo a cada domingo”

Atriz, que começou cedo na TV, fala da importância de se reinventar 


  • 23 de setembro de 2018
Foto: Globo/Paulo Belote


Por Luciana Marques

Desde a estreia em novelas, aos 6 anos, em Revelação, do SBT, depois em papéis de destaque em tramas globais como Viver a Vida, Morde & Assopra e Amor à Vida, Klara Castanho praticamente cresceu diante das câmeras. Hoje, aos 17 anos, o público acompanha um novo momento importante de sua carreira. Ela é um das integrantes do PopStar, a caçulinha.

Para a atriz, a participação no programa é uma oportunidade de se reinventar. Na estreia, Klara interpretou O Sol, sucesso de Vitor Kley. E falou sobre o momento: “O palco é gigante, e tenho que me fazer, pelo menos, grande. Eu me conheço em muitos lugares, mas na música iniciei esse processo agora. Sei que haverá erros, desafinadas, inseguranças, tremedeiras... Mas mais importante que tudo isso, estou me vencendo a cada domingo”, diz.

Confira o bate-papo do Portal ArteBlitz com esta atriz tão querida e talentosa. Ah, e dia 11 de outubro, ela estreia o filme Tudo Por um Pop Star. Estamos na torcida, Klarinha!

Klara em sua apresentação na estreia do reality. Foto: Globo/Estevam Avellar

O que fez você aceitar o convite para estar no PopStar?

Eu não sei definir qual foi o motivo certo, foi mais pelo desafio. Sempre gostei de cantar, sempre estudei música, e aí eu me dei conta e falei: 'Porque não?'. Foi mais esse o meu pensamento. Acho que todo aprendizado é enriquecedor, independente se você vai seguir uma carreira, ou se você vai só estudar por hobbie. Isso aqui é muito hobbie para mim, porque nunca foi uma intenção de vida me tornar cantora. Eu gosto de cantar, mas a minha profissão e o que eu gosto de fazer é atuar.

Os participantes do PopStar falam da expectativa com estreia

Taís Araújo é a nova apresentadora do reality PopStar

Como é que você lida com o fato de ser julgada?

Eu cresci em frente às câmeras. Eu cresci com a imprensa, e não conheço outra vida a não ser com pessoas opinando sobre a minha vida. Eu sempre fui muito blindada em casa, meus pais sempre me blindaram muito. Mas querendo ou não, nas redes sociais, lugares que você frequenta, você ouve comentários. Eu acho que a partir do momento que ele é construtivo, vale a pena levar em consideração, se é destrutivo, se a pessoa está querendo externar uma coisa ruim, eu deixo para lá. Temos que aprender a filtrar. Eu estou no processo de aprendizado, não é fácil você ouvir uma coisa ruim.

O que a gente pode esperar de surpresas no seu repertório?

É sempre uma coisa muito romântica, porque é o que eu gosto de ouvir. São coisas calmas, músicas que dizem coisas para mim. Músicas com mensagens externas ou internas, sempre.

Você já pensou em fazer musical?

Já fiz coisas musicadas, mas musical eu preciso de muito preparo. Não é uma coisa que eu aceitaria agora. Depois de muito estudo e muito preparo, seria incrível.

Foto: Globo/Paulo Belote

Você fez muito sucesso na TV ainda criança. E tem aquela fase complicada da transição. Em algum momento foi difícil para você, prejudicou no trabalho?

Quando você passa por essa fase criança, adolescente e adulto, é muito difícil de você se enxergar como pessoa completa. Você está se descobrindo, você está formando definitivamente a sua personalidade, decidindo o que você quer e é muito complicado, um momento conturbado na nossa cabeça. Uma certeza que eu sempre tive, foi sempre me manter na televisão, sendo atriz ou fazendo arte, isso sempre foi um foco. Um grande problema que eu vi nesse meio tempo foi que as pessoas achavam que se eu não estou aparecendo na televisão, eu não estou trabalhando. E eu fiz muitas coisas. Fiz teatro, cinema, me descobri em outras frentes. Escrevi um livro também, então foi onde eu me reestabeleci como pessoa. Ser atriz é o meu foco, é o que eu gosto de fazer e eu não vou desistir independente desse tempo ‘difícil’. Eu tive que aprender a me renovar, não é uma fase fácil, mas o artista precisa se renovar constantemente. Foi aí que eu tive um grande start, e voltar no PopStar é uma grande oportunidade de me reinventar mais uma vez.

É legal que nas redes sociais você mostra muito a sua verdade, acho que isso tem a ver também para ter tantos seguidores?

Eu acho que a rede social traz uma maior humanidade para as pessoas. Você cria um vínculo maior com quem te segue. Eu sempre escolhi muito o que compartilhar. Tem coisas que eu acho necessárias, tem coisas que eu acho dispensáveis. E eu acho também que é um contato maior com quem te admira. É incrível você receber o carinho de quem te admira, você facilitar esse contato não tem preço, então a partir do momento que você entende isso, que sabe administrar, não tem forma melhor de usar esse veículo que é a rede social.
 



Veja Também