Juliana Paiva: Triângulo amoroso com José Condessa e Felipe Simas em trama

Em Salve-se Quem Puder, nova novela das 7, atriz será Luna e terá que trocar de identidade


04 de dezembro de 2019

Foto: Montagem

Depois de conquistar o Brasil como a Marocas, de O Tempo Não Para, Juliana Paiva estará em breve de volta às novelas, agora como a Luna, de Salve-se Quem Puder, de Daniel Ortiz. Ela divide o protagonismo na trama, com direção artística de Fred Mayrink e estreia no fim de janeiro, com Deborah Secco, a Alexia, e Vitória Strada, a Kyra.

Na comédia romântica, Luna é uma jovem mexicana, camareira de um hotel em Cancún e recém-formada em fisioterapia. Filha de pais brasileiros, Bruno (Murilo Rosa) e Helena (Flávia Alessandra), a jovem tem o sonho de reencontrar a mãe que a abandonou quando ela tinha 4 anos. E está próximo de realizar esse desejo ao saber que Helena está viva e mora em São Paulo.

NO OLHO DO FURACÃO

Mas a vida de Luna muda do dia para a noite após conhecer no hotel Alexia, uma atriz em ascensão, e Kyra, que se prepara para o casamento dos sonhos. A vida das três muda completamente após presenciarem o assassinato de um importante juiz brasileiro e de, em seguida, sobreviverem a um furacão na Ilha. Mas para não serem mortas pela maior quadrilha do local, ela entram no Programa de Proteção à Testemunha.

Assim, ganham uma nova identidade e um novo visual: Luna vira Fiona, Alexia é Josimara e Kyra é Cleyde. Elas são levadas para morar com uma família caipira no interior de São Paulo, de onde não podem sair. Mas a aflição por não saberem o que acontece com as suas famílias, faz com que elas fujam para São Paulo. E aí, com nova identidade e morando juntas, acabam se infiltrando uma na família da outra, passando por inúmeras aventuras e romances.

“Quando a gente fala de protagonista rola uma solidão, às vezes. Você acaba de gravar fica lá a mocinha, sofrendo... Agora somos três e a gente vibra muito com isso, com o fato de ser uma comédia. Somos três atrizes com comportamentos diferentes em relação a comédia. Acho que o grande lance é acreditar no que você está fazendo e fazer de verdade. E a Luna cai nessa comédia, ela vai recepcionar essas duas loucas, entra num carro em que vai levar elas até o assassinato, depois o furacão...”, contou Ju Paiva, em encontro com a imprensa nos Estúdios Globo.

O diretor Fred Mayrink, Juliana Paiva, Vitória Strada, Deborah Secco e o autor Daniel Ortiz. Foto: Globo/João Miguel Junior

LUNA E SEUS PARES ROMÂNTICOS

Assim que fica sabendo que terá que deixar Cancún com uma nova identidade, o seu namorado, Juan (José Condessa), é um dos únicos a saber que ela está viva e precisou fugir com nova identidade. Porque todos, inclusive os familiares das três, acreditam que Luna, Kyra e Alexia morreram na tragédia. Um detalhe interessante é que durante o furacão, Luna foi salva por um anônimo, que virou seu “herói”.

Só depois todos saberão que ele é o aventureiro Téo (Felipe Simas), diretor de audiovisual, e enteado de Helena, mãe de Luna/Fiona. Com o objetivo de se aproximar da mãe, mesmo não podendo revelar sua identidade, a jovem começa a trabalhar no empório da rica família de Helena, que inclui restaurantes e supermercados chiques. Hoje ela está casada com um milionário, papel de Leopoldo Pacheco, e tem dois enteados. E assim que se cruzam, Fiona e Téo sentirão uma forte atração. E Juan, será que virá para o Brasil?