Jeniffer Oliveira fala da primeira vez de "Florito": "Muito amor"

Atriz diz que assim como a Flora, "sabe tirar coisas boas de situações ruins"


  • 16 de agosto de 2018
Foto: Globo/Marília Cabral


Por Redação

A personagem Flora, vivida pela atriz Jeniffer Oliveira, em Malhação: Vidas Brasileiras, conquistou o público com sua doçura logo nos primeiros capítulos. Tanto que ela foi eleita a mais fofa da trama teen. Mas, atualmente, a adolescente vive um conflito bastante comum entre os jovens: a sua primeira vez com o namorado, Tito (Tom Karabachian).

Na trama, o casal #Florito enfrenta a falta de privacidade e a intromissão de amigos e familiares. Mas, juntos, com muito diálogo, eles vão viver logo esse momento especial. “O público pode esperar muito amor desse casal”, conta Jeniffer, sobre sequência prevista para ir ao ar na semana que vem.

Na entrevista, a atriz de 19 anos garante que não passou por situação como a da Flora em relação à primeira vez. Mas que com a personagem resgatou um lado seu mais de menina. E entre as semelhanças, se identifica com ela ao "saber tirar coisas boas de situações ruins".

Flora (Jeniffer Oliveira) e Tito (Tom Karabachian). Foto: Globo/João Miguel Júnior

Tá todo o mundo aguardando muito por essa primeira vez de #Florito, o que o público pode esperar?

Eles começaram assim, com muito amor, carinho, compreensão de ambas as partes. Óbvio que como todos os casais, passaram por coisas ruins, mas eu acho que a gente pode continuar esperando o que eles já vem demonstrando que tem, esse amor todo. Então, pode esperar muito amor.

Saiba o que os atores desejam a seus pares em Malhação

André Luiz Frambach: “Pérola é a única salvação para Márcio dar reviravolta”

Por que você acha que #Florito conquistou tanto os fãs?

Exatamente por isso, por ter muita compreensão, amor, escuta. Porque, apesar de sempre ter uma coisa ou outra que a gente realmente passa dentro de um relacionamento, coisas ruins, eles sempre pararam para conversar, ouvir o que o outro tem a dizer. E acabaram se entendendo, apesar de serem bem jovens. Com toda essa urgência da adolescência, sempre conseguiram se entender nisso tudo. E é um casal muito fofo, doce, eles são muio românticos. Esse ideal de romantismo, essa coisa antiga, do primeiro amor, acho que fez com que o público se encantasse pelo casal.

E demonstram muita química, né?

É um casal que tem muita química. É muito bom poder trabalhar com alguém que a gente gosta, eu e o Tom Karabachian criamos um vínculo de amizade, cumplicidade e generosidade fora de cena. Tenho muita troca com o Tom.

Como todos os adolescentes, o casal passa por situações complicadas para conseguir ter seu momento de intimidade. Você recebe feedback de fãs contando já terem passado por isso?

Sim. Uma menina veio me contar que está passando pela mesma coisa, e ela já namora há muito tempo. E acontece muito isso. Porque é um momento que está acontecendo para muita gente e para outros não. Algumas têm presssa, outras, não. Então, fica esse conflito, que todo o mundo convive. Fica essa coisa, para você já rolou, para mim, não. Então, vira uma questão, como acabou virando para a Flora e o Tito. Eles querem ter privacidade, e não tem.

Flora (Jeniffer Oliveira). Foto: Globo/João Cotta

Você já passou por algo parecido com algum namorado?

Eu nunca passei. A minha primeira vez foi bem diferente da primeira vez da Flora. E eu nunca passei por situação assim. Mas como toda a adolescente eu já passei por essa coisa de querer privacidade e não ter, de querer ficar com o meu namorado e não poder, e não ter esse momento.

Acha que a questão da tecnologia acaba complicando ainda mais?

Eu acho que a tecnologia fez a gente se abrir para novas coisas. Eu não me considero um tipo de pessoa que acha que nos velhos tempos era melhor e agora é pior. Eu acho que a gente tem uma grande ferramenta na mão, ajuda em diversas coisas. Mas acho que tudo em excesso faz mal. A gente tem que se acostumar como a vida realmente é, tem que tirar esse filtro que a gente bota, de querer que a vida seja uma coisa que na real não é. A gente tem que aceitar a vida como ela é, e usar a internet de maneira que ela possa servir para a gente. Não acho que atrapalha ou complica, acho que a gente é que atrapalha, a gente é que complica.

Qual o conselho você daria para Flora e Tito?

Ter paciência, calma, deixar um pouco de lado essa urgência que a gente tem na adolescência. E não só para ela, para todos os adolescentes, porque convivo com uma adolescente em casa, a minha irmã, a Bia, e eu sempre falo dela, porque serve muito de laboratório para mim para fazer a Flora. E deixar um pouco isso de lado, porque é tão bom a gente poder aproveitar cada momento, porque quando passa, faz uma falta, até os chatos. Viver com calma, minimalismo de pensamentos, de programações, se permitir.

Foto: Globo/Marília Cabral

Como avalia a postura da Flora desde o início da novela?

Ela é um presente para mim, é linda, doce e delicada. Ela tem essência de menina. Coisas que a gente perde um pouco com o tempo, muito por conta das coisas da vida de ter que ser mulher em várias situações. Mas, de alguma forma, o mundo cobra isso da gente. Então, resgatei esse lado mais menina com ela.

Você acha que ela está amadurecendo ou evoluindo?

Sim. Ela está mais menina, se encontrando, tendo mais vaidade, namorando. Está em outra fase.

Os acontecimentos na família dela, de certa forma, transformaram um pouco ela, né?

Ela encontrou uma maneira incrível de lidar com isso, com a arte, que é uma das coisas que ela gosta. Eu até me identifico com este momento dela de saber tirar coisas boas de situações ruins. Tudo é do jeitinho dela, se por um lado ficou triste com a separação dos pais, ao mesmo tempo deu apoio ao irmão. Ela tem várias camadas, e isso é muito legal.

Flora (Jeniffer Oliveira). Foto: Globo/Chico Couto

Quando você era adolescente e tinha por volta dos 15 anos, você vivia como ela?

Eu vivi muito à flor da pele, mas nunca vivi algo que mexesse tanto comigo. Demorei para entrar nessa fase de pensar em meninos. Sempre fui muito focada em trabalho, comecei aos 7 anos, demorei para a amadurecer em relação a isso. Amadureci em algumas coisas e regredi em outras. Mais para frente fui pensar no que eu queria pra mim quando o assunto é relacionamento.

Você acha que foi por causa dessa sua força com as adolescentes que te deu coragem para denunciar a agressão que você relatou ter sofrido (do ex-namorado, o ator Douglas Sampaio)?

É um assunto delicado. Eu já falei muito no meu Instagram porque considero esta rede social uma porta mportante para a gente falar o quiser e na hora que quiser, seja ela boa ou ruim. E eu resolvi usar o meu para levantar uma bandeira que é interessante de ser levantada. Isso me fez amadurecer, me deu uma força maior sim, fez eu me aproximar de pessoas para falar sobre o assunto. Nunca me imaginei numa situação dessas, foi uma corrente de coragem que tem que continuar. Foi muito bom saber que as mulheres são unidas, não tinha noção desta força. Estamos aí pra isso, lutar e semear coisas boas.

Sua personagem foi eleita a mais fofa dessa Malhação. A que se deve isso?

Ela é muito fofa, me encanto muito com ela. Ela não tem vontade de ser mulher, ela usa o que tem vontade, é uma pessoa que você pode esbarrar na rua, ela é natural. Acho que isso a aproxima das pessoas.

A Flora usa o desenho para extravasar, e você, faz o quê?

Eu gosto de extravasar trabalhando muito. Eu comecei muito nova, não sei o que seria de mim se eu não estivesse trabalhando. Gosto de estar com amigos e família, ler um livro, coisas simples do dia a dia me fazem me sentir bem.



Veja Também