Espelho da Vida: Alain surpreende Cris com pedido de casamento

Cineasta dá anel à amada em noite de muita confusão


  • 30 de setembro de 2018
Foto: Globo/João Miguel Júnior


Após decidir rodar o filme Amor Imortal em Rosa Branca, como foi o pedido de seu avó Vicente (Reginaldo Faria), Alain (João Vicente de Castro) e Cris (Vitória Strada) retornam ao Rio.

Enquanto ele faz reuniões com sua equipe de trabalho, Cris aproveita para visitar a mãe, Ana (Julia Lemmertz), e o padrasto, Flávio (Angelo Antônio). Ela conta à mãe toda a história vivida do déjà vu vivido em Rosa Branca, e sobre Julia Castelo.

Mas chega a noite do aniversário de Ana, e Alain resolve surpreender Cris.

Espelho da Vida: Cris entra na casa de Julia e se vê em retrato

Patrick Sampaio é Felipe, amante da vilã de Alinne Moraes

ALAIN: “CRIS, DIANTE DE SUA FAMÍLIA, EU QUERO PEDIR QUE SE CASE COMIGO, BEM À MODA ANTIGA, VAMOS FICAR NOIVOS. VOCÊ QUER?”

Flávio, Cris, Alain e dois casais de vizinhos cantam Parabéns para Ana. Logo depois, Alain pede a palavra. “Eu disse pra Cris que ia fazer uma surpresa pra ela hoje!”, fala. Todos ficam curiosos. “Cris, meu amor aqui, diante da sua família, eu quero pedir que se case comigo, bem à moda antiga, vamos ficar noivos. Você quer?”, pergunta.

E logo ele abre a caixinha com um pequeno anel de brilhante. “Eu nem sei o que... eu não esperava, Alain, nunca imaginei!”, diz ela, comovida. “Sei que não faz muito meu perfil mas você quer?”, ri ele. “Quero, claro que quero, meu amor!”, afirma ela. Alain põe o anel no dedo da amada e lhe dá um beijo delicado.

Mas todos se assustam quando ouvem a voz do malandro Américo (Felipe Camargo), pai biológico de Cris, que tenta se reaproximar dela. “Ei, que negócio é esse de casar com a minha filha sem falar comigo? Sou eu o pai da Cristina, me respeite!”, fala ele. “Américo, vou falar com educação, vai embora, por favor! É o aniversário da Ana, a gente tá comemorando em família”, pede Flávio, contido.

“E eu não estou aqui por outro motivo, Flávio. Nunca esqueci o aniversário da minha mulher. Desculpa, minha ex-mulher. Parabéns, Ana. Muitos anos de vida e muita saúde pra aguentar esse cara aí”, debocha. E ele continua. “Calma, Flávio, não vou me demorar, sei quando não sou bem vindo. Alain, ouvi sua declaração de amor pra minha filha, seu pedido pra ficar noivo. Pode ficar tranquilo, dou o meu consentimento e minha benção”, diz

“Não vou aguentar isso, não, Ana!”, avisa Flávio. “O senhor está criando uma situação tão desagradável, a gente pode se ver em outro momento”, pede Cris. Ele continua criando confusão, até que é praticamente escurraçado do local. “Tá bom, tá bom estou indo! Agora já tenho seu número a gente se fala, tá, filhota? Parabéns pelo noivado. O papai faz questão de entrar na igreja com você”, diz. Quando ele sai, Cris cai no choro.

CRIS À ANA: “PREFERIA QUE O ALAIN TIVESSE COMBINADO COMIGO ESSE LANCE DE FICAR NOIVO, ME SENTI MEIO OBRIGADA A DIZER SIM”

Depois, no quarto da mãe, Cris explica que Américo descobriu o número dela e ligou quando ela estava em Rosa Branca, mas ela não quis contar para não estragar o aniversário da mãe. “Tenho pena dele, mãe, muito ressentimento também”, diz Cris. “Eu ia te avisar que ele tava de volta, pra você se preparar. Mas tinha esperança dele sumir de novo”, fala Ana. “E se ele tiver mesmo arrependido?...”, fala a jovem. “E tem conserto?”, responde Ana.

Logo, Ana pergunta se a filha ficou feliz com a surpresa do anel. “Fiquei, claro. Mas não pensava em casar, assim, casar mesmo, de verdade. Morro de medo, você sabe, desde menina tenho essa cisma”, lembra ela.“O Flávio acha que você falava isso porque não encontrou o homem certo. Mas agora encontrou, né?”, quer saber Ana.

“É engraçado, tem hora que eu acho que não conheço o Alain direito. Ou melhor, ele tem um lado que eu não gosto muito. Mas ninguém é perfeito, né?”, deduz Cris. Ana concorda. E logo a jovem lembra de sua estada em Rosa Branca. “Fico fantasiando, se eu sou mesmo a reencarnação da Julia Castelo, o Alain deve ser a reencarnação do Danilo, que ela amava tanto. Só que nesta vida vai dar tudo certo pra gente!”, torce.

“Fora esse medo de casar, cabeça romântica você sempre teve”, diverte-se Ana. “Mesmo assim, preferia que o Alain tivesse combinado comigo esse lance de ficar noivo. Me senti meio obrigada a dizer sim”, constata ela. “Tá me dizendo que não queria dizer sim?”, pergunta Ana. “Não é isso, mãe, eu adoro o Alain, é só uma sensação, não tem nada de racional. Gosto de ficar no comando da minha vida, sem ninguém tomando decisões por mim”, atesta.
 



Veja Também