Eike Duarte, o Álvaro, de Malhação: Ele cresceu, e como!

Dos DVDs da Xuxa a astro da trama teen, ator lembra batalha de 8 anos de testes


  • 13 de agosto de 2018
Foto: Globo/João Cotta


Por Luciana Marques

Quem vê Eike Duarte hoje, aos 21 anos, logo se encanta com sua beleza e simpatia. Mas se olhar um pouco melhor para aquele loirinho de sorriso fácil e olhos azuis, impossível não lembrar dele saltitante e animado como dançarino dos DVDs de sucesso Xuxa Só Para Baixinhos. “Foi ela quem abriu as portas para mim. Sou grato para sempre”, diz.

Mas a partir dessa fase, e após ter participado, ainda criança, de Em Família, não foi nada fácil conquistar uma outra chance na TV. Foram oito anos de batalha, estudo e testes para a própria Malhação. E agora parece ter chegado o momento de Eike. O ator ganhou o papel do misterioso Álvaro, em Malhação: Vidas Brasileiras. O personagem, já no ar, deve ter um envolvimento amoroso com Verena (Joana Borges).

Na entrevista, Eike chega a se emocionar quando lembra do momento em que recebeu a notícia de que o personagem era dele. O ator também conta que chegou a sofrer bullying por ter participado dos DVDs da Xuxa.

Álvaro (Eike Duarte) e Verena (Joana Borges). Foto: Globo/João Cotta

Como tem sido viver essa nova fase no trabalho?

É muito gratificante porque foram oito anos de batalha, de testes para Malhação. Bati muito na trave, e assim fui aprendendo. Mas tudo aconteceu da melhor forma, Deus quis assim e foi muito bom.

Joana Borges fala da fase leve de Verena e com nova paixão

Saiba o que os atores desejam a seus pares em Malhação

Conta mais um pouco sobre o personagem...

Álvaro Borges é um surfista apaixonado por literatura, ele não é do Sul mas está vindo de lá. Por conta dessa paixão pela literatura, ele acaba sendo destaque nas aulas da Gabriela (Camila Morgado), e com o tempo ela percebe que ele tem algum mistério.

Como tem sido a relação com os atores e a equipe?

Eu fiz workshop para essa Malhação onde fui até a final, então, conhecia todo mundo e uma parte da equipe também. Acabou que fiz um outro trabalho na Globo em Se eu Fechar Os Olhos Agora, que ainda não foi ao ar. O nome do personagem é Antônio, filho do Paulo Rocha, ator português. Ele é um jogador de futebol que vai se envolver com uma história forte de racismo. É um personagem que foi marcante para mim porque é meu primeiro personagem na maioridade. Foi um marco pra mim.

Foto: Reprodução Instagram

Você faz um surfista em Malhação e fez um jogador de futebol em Se Eu Fechar Os Olhos Agora. Você domina esses esportes?

Eu dei sorte porque gosto dos dois, domino os dois e é incrível. São os presentes que a carreira nos dá.

Chegou a pensar em desistir da profissão nesse período de testes e mais testes?

Nesses oito anos teve um momento em que passou, sim, na minha cabeça que não rolaria. Mas começou a pesar o lado da minha profissão. Eu não conseguia me ver fazendo outra coisa. Meu primeiro trabalho foi aos 6 anos, é uma paixão que vai para a vida toda. Existiu muita ansiedade e tristeza e muito aprendizado também. Há preconceito quanto aos atores mirins não conseguirem passar a imagem de maioridade. Teve um momento em que eu não era um garotinho e nem um homem adulto. É um momento crítico que a gente passa. É difícil de trabalhar nessa fase, mas foi um tempo legal porque me dediquei mais aos estudos.

Foto: Marcio Farias

Você participou ainda novo dos DVDs da Xuxa, e depois também da novela Em Família. Aí foi o começo da despedida do ator mirim?

É engraçado isso, porque esse lance da Xuxa, sou lembrado até hoje. Fiz outros trabalhos, mas falam muito desse, primeiro, porque a minha carinha não mudou, é a mesma, só estou mais velho. Xuxa marcou a infância de quase todo o mundo. E esse trabalho na novela Em Família eu acho que eu não consegui virar essa página do ator mirim, participei na primeira fase mais novo, e depois ainda passavam flashbacks durante a novela inteira.

Em algum momento você se arrepende de algo, de ter dançado nos DVDs da Xuxa, porque sempre tem algum engraçadinho que deve falar, né?

Eu sofri muito bullying com isso. Ah, você é o 'Garotinho da Xuxa', 'Você é o Tchuchucão', 'Olha o Ilari, Ilariê chegando aí'. Mas com a responsabilidade de dividir estudos e trabalho, eu acabei amadurecendo mais rápido do que os amigos da minha idade. E, na boa, no início sofri um pouco com isso, mas tirei de letra depois. E não me arrependo mesmo! A Xuxa foi a pessoa que abriu as portas para mim, para eu poder mostrar o meu talento. Então, sou grato para sempre. E eu fico muito feliz quando as pessoas dizem: 'Você é o garotinho da Xuxa'. Eu sou, e vai ficar marcado para o resto da vida, não tem jeito.

Com Xuxa, em gravação do XSPB. Foto: Reprodução Instagram

Como é contracenar com grandes mulheres no elenco e na equipe de Malhação?

Muito bom, desde a nossa diretora (Natália Grimberg) até a nossa autora (Patricia Moretzsohn). Estamos vivendo um grande momento de girls power, que é incrível. A pessoa que eu mais admiro na minha vida, é a minha mãe. As mulheres são inspiradoras. Além do instinto materno, a mulher te acolhe bem, coisas que o homem não tem.

E como foi quando você recebeu a informação de que estava no elenco?

Foi demais! Só a gente sabe a luta que é. É até difícil falar... (ele se emociona). É muita felicidade porque você vê que nada foi em vão. Tudo tem a sua hora, você não pode deixar de acreditar nunca. No fundo, tinha alguma coisa me dizendo que era este o caminho. Me ligaram, estava com a minha mãe em casa. Eu comecei a chorar na hora e abracei a minha mãe. Neste momento, meu pai estava entrando em casa, ele me abraçou. E os dois sempre me apoiaram muito. Foi uma conquista nossa!



Veja Também