Mel Maia cita “frio na barriga” em sua estreia no teatro

Em cartaz com Marina Nada Morena, ela diz que seu sonho é nunca parar de atuar


  • 14 de setembro de 2018
Foto: Reprodução Instagram


Por Luciana Marques

* Entrevista disponível também em vídeo, abaixo.

Uma das atrizes mirins mais requisitadas da TV – desde a inesquecível atuação como a Ritinha, de Avenida Brasil, em 2012 – Mel Maia, de 14 anos, acaba de fazer a sua estreia no teatro na peça Marina Nada Morena. E como não poderia ser diferente, ela agarrou a oportunidade como sempre faz. E está brilhando ao lado de Cauê Campos, no palco do Teatro das Artes, no Rio. “Agora quero levar isso para a minha vida toda”, diz.

Na montagem baseada no livro homônimo de Vanessa Balula, e com direção de Ernesto Piccolo, Mel vive Marina. A personagem é uma menina encantadora que, mesmo nas situações mais difíceis, dá um jeito de lidar da melhor forma possível. “A peça está uma gracinha, os adultos vão gostar, os adolescentes, as crianças, porque tem uma coisa assim de irmandade, uma coisa de amizade forte”, conta Mel, sobre a cumplicidade de Marina e Lucas, papel de Cauê.

O Portal ArteBlitz aproveitou a estreia da peça e bateu um papo descontraído com a Mel. E está imperdível!

Marina (Mel Maia). Foto: Rodrigo Lopez

Por que estrear no teatro com esta peça, em especial?

Eu nunca fiz nada muito relacionado para crianças diretamente. Sempre fiz novelas mais pra adultos mesmo, teatro nunca foi uma coisa que eu fiz como eu faço novelas o tempo inteiro, filmes... Então, falei: 'Pôxa porque não? Isso faz parte também da minha carreira, eu acho muito legal, ainda mas pra chegar perto do público menorzinho e tal. Aí eu eu li a história, achei muito bacana e falei, eu vou adorar fazer isso!

Lembra dele? Aos 12 anos, Luiz Felipe Mello brilha em Pippin

Premiado Cinderella, o Musical está em cartaz em São Paulo

O que mais te encanta no texto da peça?

Eu gosto muito da amizade da Marina e do Lucas, eles são amigos, são como irmãos, e eu acho isso lindo, maravilhoso, eles são muito próximos, parecem irmãos.

Você está muito acostumada com processo de gravação de TV. Como foi se adaptar ao teatro?

Eu faço novelas desde pequena, então, eu estou acostumada a falar baixinho porque tem um microfone debaixo da roupa, a gente não precisa falar alto. Então, eu acho que o mais difícil pra mim é ter que falar mais alto, porque no teatro a voz tem que preencher o teatro inteiro, pra quem está lá na ponta, pra quem está lá trás poder escutar também. E isso foi a parte mais difícil pra mim, tive que treinar bastante porque estou acostumada a falar baixinho, na TV é tudo pequenininho, e no teatro é tudo grande, gestos e voz alta também.

Bateu algum receio na estreia?

Na estreia eu fiquei muito nervosa, friozinho na barriga, mas estava sentindo que ia dar tudo certo, estava ali com o Cauê, energia positiva, e a gente estava ali conectado. Então, tudo ia dar certo.

Depois da estreia, já levou a “picada” do teatro. Agora é algo que você deseja fazer mais e para sempre?

Depois que eu fiz todos esses ensaios, a primeira vez na peça, eu amei, quero levar isso pra minha vida toda, como eu estou levando a minha carreira de artista, fazendo novelas e filmes. Faz parte também do meio artístico, e eu acho maravilhoso. Sempre quis fazer teatro e agora que eu comecei, não quero mais parar.

Como está sendo a parceria no palco com o Cauê Campos?

O Cauê é um amor de pessoa, é um atorzão, ele sabe definir bastante cada coisa, ele da muitas ideias. Eu o admiro muito, e a gente se conectou bastante pra ser o Lucas e a Marina, a gente ficou bem amigo mesmo, Nós já nos conhecíamos, mas ficamos mais próximos ainda.

Lucas (Cauê Campos) e Marina (Mel Maia). Foto: Rodrigo Lopez

Há semelhantes entre a Marina, da peça, e a Mel Maia?

A Mel e a Marina eu acho meio parecidas porque são alegres, a coisa de ver o lado positivo em tudo, estar sempre ligada no 220. Eu acho que a gente é bem parecida por causa disso, e ela também dá muita prioridade pra amizade, cuida da amizade que tem, e é uma coisa que eu faço também.

Você é aquele tipo de pessoa bastante positiva, otimista, que sempre vê o lado bom das coisas?

Depende. É um pouco sim, um pouco não. Tem momentos que eu falo: acabou tudo, não vai dar mais certo... E tem outros momentos que tá todo mundo pra baixo eu falo: 'Gente, óbvio que não! Vamos ficar pra cima, vai dar tudo certo'. Então, depende do momento.

Você tem na sua vida um amigo assim como a Marina tem o Lucas?

Eu tenho muitos amigos, mas um amigo que eu conheço desde pequeno, que eu considero um irmão, eu acho que não tenho. Tenho uma amiga que eu considero como uma irmã que eu conheço desde pequena. Mas amigo,tenho só um melhor amigo mesmo, mas que eu considero irmão, não.

Você foi alçada ao sucesso na TV aos 8 anos como a Ritinha, e está até hoje fazendo coisas bacanas. Em algum momento, achou que poderia ser mais difícil continuar, já que tem tanto ator que começa criança e não consegue mais trabalhos na fase de transição, na adolescência?

Não vou dizer que foi fácil chegar até onde a gente chegou, foi bem difícil. Eu levei vários nãos, outros sim, mas vários nãos. E eu acho que o que me trouxe até aqui é não desistir, porque eu fiz um teste para Avenida Brasil e eu levei um não. Depois aconteceram algumas coisas, e eu levei um sim. Então, você não pode desistir de uma hora pra outra. E e eu fico muito feliz de olhar pra trás e ver tudo que eu caminhei até chegar aqui, com a ajuda de todo mundo, com o apoio de todo mundo, e fico muito feliz.

 

 

A Ritinha ainda é muito lembrada?

A maioria dos adultos que vem tirar foto comigo, lembra da Ritinha. Eu acho que vou ser a eterna Ritinha, porque todo mundo lembra dela, porque foi uma novela que marcou pra todo mundo, todo mundo assistiu, uma novela que deixou todo mundo pensando: 'Ai, meu Deus, que peninha'. Era muita coisa junta numa mesma novela, então, eu acho que ficou marcada no coração de todo mundo.

Quais os seus sonhos na carreira?

Eu só quero continuar atuando a minha vida inteira, porque é o que eu realmente gosto de fazer, e eu acho que o meu sonho mesmo é nunca parar, e acabar aí como Fernanda Montenegro... 'Quem dera, né?'.

Algum novo projeto que você possa falar, além da peça?

Vai vir o filme Tudo por um Popstar, também estou em cartaz no longa Crô em Família, mas novela, por enquanto, nada de novidade ainda.

E como é a sua relação com os fãs nas redes sociais?

É muito legal, todo mundo tem muito carinho, as pessoas começam a mandar mensagem, foto. Teve até um fã que conversou comigo e falou: 'Mel vou ai no teatro, vamos tirar foto' E ele está aqui hoje', veio na estreia. Então, eu tento chegar perto dos fãs, porque eu acho que uma parte de mim são eles, eles ajudaram a compor isso tudo, eles fazem parte.

Mel Maia por Mel Maia, como se definiria?

Eu acho que eu sou bem amiga, sou bem sincera, ciumenta... Não sei muito me definir, acho que as pessoas conseguem me definir melhor do que eu. Mas, assim, sou carinhosa, amiga, simpática, acho que é isso!

Marina Nada Morena. Até 28/10. Teatro das Artes. Shopping da Gávea. Rua Marquês de São Vicente, 52. Gávea. Sáb., e dom., às 17h. Terá espetáculo, excepcionalmente, na sexta-feira, dia 12/10, Dia das Crianças. R$ 60,00. Duração: 60min. Classificação: Livre.



Veja Também