João Batista Júnior estreia monólogo Portar(ia) Silêncio

Peça fala da migração de nordestinos a São Paulo, do preconceito a saudade


  • 06 de janeiro de 2019
Foto: Pablo Pinheiro


A própria experiência do artista potiguar João Batista Júnior, somada a histórias de nove porteiros do Nordeste, o inspiraram na criação do monólogo Portar(ia) Silêncio, com estreia no dia 11 de janeiro, no Sesc Vila Mariana, em São Paulo. Além de idealizador, João também dirige e atua na montagem.

“A portaria virou metáfora para implicações existenciais. O porteiro é um trabalhador do silêncio e ocupa um lugar parecido com o da própria história da migração, que é não estar dentro nem fora, não estar num espaço público nem privado, além de receber com frequência um olhar e um tratamento estereotipado sobre seu local de origem”, diz João, que mora há dez anos em São Paulo.

Musical Gonzaguinha, com Rogério Silvestre, reestreia no Rio

Musical com Logullo e Jullie homenageia Nelson Gonçalves

A peça une teatro documental e linguagem cinematográfica, já que as falas dos porteiros são apresentadas em vídeos. As experiências deles também são interpretadas por João, que ainda dança no palco. A montagem faz o público refletir sobre migração, saudades e preconceitos com a população nordestina no Brasil.

Foto: Patrícia Costa

Portar(ia) Silêncio. Teatro documental. De 11/01 a 16/02. Sesc Vila Mariana. Rua Pelotas, 141, Vila Mariana, SP. Sextas, às 20h30, e sáb., às 18h. R$ 20,00. Duração: 60min. Classificação: 14 anos. 



Veja Também