Carla Diaz no teatro como você nunca viu: Advogada, casada, mãe

Atriz vê desafio em papel diferente de si e do que já fez na peça Em Casa a Gente Conversa


  • 01 de maio de 2019
Foto: Divulgação


Por Luciana Marques

Poucos atores tem o privilégio de poder vivenciar, assim como na vida, etapas diferentes desde a infância, também na ficção. Apesar de que na arte tudo se cria... Mas Carla Diaz, de 28 anos, está literalmente neste seleto grupo. Afinal, ela começou em novelas aos 4 anos, em Chiquititas, e não parou mais. O público, com certeza, lembra da atriz criança, adolescente, jovem, agora adulta... Atualmente, ela festeja um papel diferente, tanto de si, quanto dos personagens que já fez, na peça Em Casa a Gente Conversa.

Dividindo o palco com o ator Cássio Reis, ela intepreta a advogada Malu. “Ninguém ainda tinha visto a 'Carla' casada há sete anos e com um filho de cinco. Isso me motivou”, conta. Com texto de Fernando Duarte e Tatá Lopes, a comédia romântica, em cartaz no Teatro MorumbiShopping, em São Paulo, mostra as aventuras e desencontros de um casal em processo de separação. E é durante os encontros para definir os detalhes do divórcio, que ele reveem a própria história, criando assim sequências hilárias. Ah, e a própria atriz frisa, é um espetáculo que fala de amor. Imperdível!

Carlos Alberto (Cássio Reis) e Malu (Carla Diaz). Foto: Divulgação

O que mais instiga você ao participar da peça?

Acredito que falarmos sobre amor, sobre pessoas, sobre os nossos erros sempre é muito importante, principalmente quando temos isso tudo de uma forma leve e engraçada, que nos faça refletir sobre as nossas atitudes. Isso tudo me instigou a fazer esse espetáculo. E para completar, minha personagem é apaixonante, acho que toda mulher se identifica com ela.

 

 

Como definiria a Malu?

Malu é uma mulher forte, batalhadora, apaixonada pela família e pela sua profissão. Uma advogada dedicada, assim como muitas mulheres brasileiras que dividem seu tempo entre a casa e o trabalho. 

Você se identifica em algo com ela?

Claro, acho que toda mulher se identifica. Principalmente quando a Malu volta a olhar para ela mesma e recupera o amor próprio.

Você acha que existe “casal perfeito”?

Depende do que é 'perfeito' mas acredito que em todas as relações acontecem conflitos, até porque são eles que nos movem também. As pessoas são diferentes, com criações diferentes, então é normal ter divergências de ideias, pensamentos e atitudes. Cabe a nós ter paciência e amor para lidar com situações assim. Claro que na teoria é muito mais fácil, né? (risos)

Mesmo sendo uma comédia romântica, que tipo de reflexão você acha que o texto passa ao público?

É um espetáculo que fala de amor: o amor pelo próximo e o amor próprio. Acredito que a mensagem é uma reflexão sobre esses amores, relacionamentos e a convivência, sobre se colocar no lugar do seu parceiro. Mas tudo transmitido de uma maneira muito leve, arrancando gargalhadas do público, eu garanto!

Em Espelho da Vida a sua personagem estava grávida, agora você vive uma mãe na peça. Como é pra você, desde criança passar por todas essas etapas e agora já sendo mãe?

Essa questão foi uma das que mais me motivou a entrar nesse projeto, porque ninguém ainda tinha visto a 'Carla' casada há sete anos e com um filho de cinco. É uma situação e história bem diferentes do que já vivi na minha vida pessoal e, até mesmo, como atriz. E como amo desafios, aceitei!

Malu (Carla Diaz) e Carlos Alberto (Cássio Reis). Foto: Divulgação

Isso de alguma forma aguça também o seu desejo de formar uma família, de se tornar mãe?

Sempre tive esse desejo, mas acredito que tudo tem o seu tempo!

Você está em sua 12ª peça. De que forma essa sua incursão sempre no teatro a ajuda a amadurecer cada vez mais como atriz?

Posso dizer que nesse momento me sinto muito realizada na questão profissional. Terminei uma novela e já emendei com um filme e um espetáculo. Certamente amadureci muito nessa minha trajetória, até porque comecei - literalmente-  uma criança. Mas sinto que ainda tenho muito o que aprender e muitos desafios a enfrentar. O teatro é minha segunda casa. Cresci na televisão, mas no palco vejo de imediato a verdade das minhas personagens, o retorno do público está ali, na hora.

Você mal saiu da novela e já está fazendo peça... Ultimamente tem emendado trabalhos, como vê esse seu momento, porque a gente sabe que não é fácil, né?

Realmente a vida de artista não é fácil, temos altos e baixos, independente do sucesso que já fizemos algum dia. E isso é o normal da profissão que escolhi. Há 26 anos lido com isso e todo dia é uma batalha. Mas quando amamos o que fazemos, é muito gratificante enfrentar os desafios.

Há algum novo projeto?

Terminei a novela Espelho da Vida, estreei o espetáculo Em Casa a Gente Conversa, em São Paulo (fica em cartaz até 26 de maio) e estou filmando o longa Se a vida começasse agora. E ainda tenho um outro filme em vista!

Em Casa a Gente Conversa. Comédia romântica. De 5 a 26/05. Teatro MorumbiShopping. Av. Roque Petroni Junior, 1089, Estacionamento do Piso G1, Jardim das Acácias, São Paulo. Às sextas e sábados, às 21h; e dom., às 19 h. R$ 80,00. Classificação: 12 anos. Duração: 60 min.

 

 

Maha Sati: “Adoro ficção, mas hoje estou tirando um nó da garganta”

Bruna Spínola: "Homem ao Vento me põe em situações extremas”



Veja Também