Dhonata Augusto, de Malhação: Sucesso sem esquecer sua raiz

Ator diz que se vê em Leandro, sempre sorrindo, na batalha e sem se abalar fácil


  • 01 de maio de 2018
Foto: Globo/Marília Cabral


Por Luciana Marques

Até essa semana todos acompanham na TV a história do personagem Leandro, que enfrenta preconceito por ser dançarino, em Malhação: Vidas Brasileiras. Mas quem conhece o seu intérprete, o jovem e talentoso Dhonata Augusto, de 21 anos, percebe de imediato várias semelhanças entre eles.

Algumas, o próprio ator enumera: “O Leandro sou eu quando tinha 14 anos (risos). Extrovertido, gosta de aprender coisas novas, aventureiro, luta pelos seus sonhos, não se abala fácil e está sempre sorrindo”, conta.

E é com esse seu jeito encantador e guerreiro, que Dhonata, criado na favela do Vidigal, onde se aproximou das artes, vai marcando o seu espaço. Sua estreia na TV foi em 2012, como o Geraldinho, em Subúrbia; e entre outros trabalhos, ele fez, em 2014, o longa Bach in Brazil, um filme alemão, com co-produção brasileira; e também está no elenco da série Cidade dos Homens.

Foto: Globo/Marília Cabral

Como recebeu a notícia de que tinha passado no teste para Malhação, afinal, eram mais de 500 candidatos?

Lembro que estava gravando Cidade dos homens e durante as gravações recebi uma ligação. Era o Felipe Aguiar ( produtor de elenco ) dizendo que fui aprovado. Fiquei mega feliz, liguei pra minha mãe, para uns amigos e contei a notícia. Estou muito feliz em representar toda essa galera.

O que tem mais instigado você ao interpretar o Leandro?

Sem dúvidas, a dança. Quando soube que o Leandro era judoca e que mudaram o personagem porque me viram dançar na oficina (durante teste para a novela ) eu fiquei muito feliz. Não dançava há muito tempo e nesse dia senti um impulso, senti uma energia tomando conta de mim e comecei a dançar. Nesse dia o Leandro ganhou vida.

Gabriela (Camila Morgado) e Leandro (Dhonata Augusto). Foto: Globo/ Sergio Zalis

Ele sofre preconceito por ser dançarino, o pai acha que ele pode ser homossexual... Acha que isso acontece ainda nos dias de hoje em muitas famílias ?

Não acho, tenho certeza. Tenho amigos que foram expulsos de casa, tenho amigos que sofrem isso até hoje. É muito triste e eu espero que isso mude um dia. E que o Leandro sirva de exemplo e abra essas cabeças fechadas.

Leandro tem uma relação conflituosa com o pai, como é a sua relação com os seus pais?

Amo minha mãe, eu e minha irmã fomos criados por ela. Criou 2 filhos sozinha. Uma mulher guerreira, referência, minha deusa! Não conheci meu pai. Ele está vivo e tem mais 2 filhos.

Que tipo de adolescente você foi, mais certinho ou bem “aborrescente”?

Fui um pouco dos dois, sempre tive consciência das minhas atitudes. Nunca fui de aprontar muito, não gostava de dar problema pra minha mãe, mas curti muito minha adolescência.

Foto: Globo/João Cotta

O que você mais aprendeu com o grupo de artes Nós do Morro (do Vidigal) e vai levar para a sua vida?

Além de aprender a ser um artista, aprendi a ser um humano melhor, a não querer subir em ninguém pra chegar nos meus objetivos, aprendi a respeitar o próximo e a ver a vida de uma forma diferente. O Nós do morro trouxe esperança, trouxe oportunidades, me trouxe arte.

Você foi criado no Vidigal, tem ideia de que você hoje já é referência, exemplo de sucesso para muitas crianças da comunidade? Como você vê isso?

Isso é incrível. Quando alguém do Vidigal me para pra pedir foto ou pra dar parabéns pelo trabalho eu fico todo bobo, me sinto muito bem em representar meu povo e ser referência me traz uma grande responsabilidade. Amo o Vidigal e vou levar pra vida esse nome comigo.

Leandro (João Miguel Junior). Foto: Globo/João Miguel Junior

Qual o filme passa na sua cabeça, desde a infância humilde, até agora no time de protagonistas de Malhação?

Passei por muitas dificuldades na minha vida, o que me preparou para viver esse momento de agora. Sou cria de favela e tenho muito orgulho disso. Por mais que eu viaje o mundo trabalhando, voltarei para beber da fonte.

- Dhonata Augusto por Dhonata Augusto, como se definiria?

Difícil falar de si, mas eu me vejo como uma pessoa/artista versátil, um eterno aprendiz. Um cara que deseja que os amigos estejam ao seu lado nos melhores e piores momentos da vida.

Veja também:

Saiba mais sobre Daniel Rangel, de Malhação, e se encante!

Alice Milagres fala da sua maior saudade

Ana Beatriz Nogueira diz que falar da esclerose foi “ir além do seu ego”

Luellem de Castro, de Malhação: Jovem de atitude e empoderada



Veja Também