Rayssa Bratillieri: De menino Jesus nos palcos para Malhação

Com bagagem de teatro, ela brinca que também carrega no drama como a Pérola


  • 28 de março de 2018
Foto: Lucio Luna


Por Redação

A estreia nos palcos de Rayssa Bratillieri, a Pérola de Malhação: Vidas Brasileiras, começou em grande estilo, mas de forma inusitada. Com apenas 6 meses de idade, sua mãe a “emprestou” para ser o menino Jesus em peça da escola de sua irmã, já que esqueceram o boneco que faria o papel.

O que até então ninguém da família sabia é que aquilo seria um prenúncio da futura carreira da então bebê Pérola. Na adolescência, em sua terra natal Apucarana, no Paraná, ela já demonstrava o desejo de atuar. E logo decidiu entrar num curso de teatro.

Mas foi aos 17 anos, quanto terminou o ensino médio, que a grande dúvida pairou em sua vida: cursar Engenharia Civil para ficar perto da família e acarinhar o pai, ou se mudar para o Rio e estudar artes cênicas. Até que decidiu ouvir o coração e, com o apoio da mãe, se mudou para o Rio.

Foto: Lucio Luna

“Cheguei até a fazer o vestibular para engenharia civil no Paraná. E passei em terceiro lugar. Sempre tive um desejo forte de que meus pais tivessem orgulho de mim. Muitas pessoas vieram me perguntar e eu queria esclarecer que tive o apoio emocional e financeiro da minha mãe, principalmente, para a mudança. Cheguei a pensar na possibilidade de fazer uma faculdade de engenharia paralelamente. Mas entendi o que realmente queria, e foquei minha energia, tempo e disposição para as artes", conta a atriz de 20 anos.

Experiência nos palcos

Já no Rio, ainda conhecendo poucas pessoas, uma delas era Grazi Luz, da Fazart Produções Artísticas, ela foi à luta. E com apenas um mês da nova vida já atuava em uma peça infantil. Esteve em cartaz em 7 montagens infantis. Em meio a isso, fez vários cursos de teatro, TV e cinema. Entre os trabalhos, participou dos curtas A Colheita e Algum Romance Transitório.

Mas foi o encontro com Hamilton de Oliveira, professor de interpretação, que ela diz ter mudado a forma de se enxergar como atriz. E com a direção dele, apresentou o showcase O ator e A Alma, em que viveu Laura Wingfield, persnagem clássica de Tennessee Wiliams.

Foto: Globo/João Cotta

Malhação

Depois, enquanto encenava Os Segredos de um Showbar, com direção de Neide Lira, ela foi chamada para uma entrevista para Malhação, mas não rolou. Determinada, no ano seguinte partiu para uma nova sabatina. Fez testes e worckshops até que foi aprovada para viver a Pérola dessa atual temporada.

"Na fase de seleção para Malhação: Vidas brasileiras eu estava bem tranquila. Não criei muita expectativa, e acho que esta é uma ótima forma de levar a vida. Estava ali presente e aprendendo ao máximo o que podia, porque já via como uma ótima oportunidade. Claro que houve um processo de exaustão física e emocional grande nas semanas intensas dos workshops, mas foi um grande presente passar no teste e ganhar a Pérola", conta.

Pérola (Rayssa Bratillieri). Foto: Globo/João Cotta

Pérola

A personagem Pérola de cara passou por um trauma grande na estreia da novela. Seu pai, Eduardo Mantovani, vivido por Edson Celulari, é preso acusado de corrupção. Assim, ela e a mãe, Isadora Mantovani, papel de Ana Beatriz Barros, que sempre tiveram um bom padrão de vida, se veêm numa situação difícil. Com os bens da família confiscados, a jovem tem que deixar a escola que frequentava na Barra, Rio, e seguir para a Sapiência, onde a professsora Gabriela (Camila Morgado) leciona, em Botafogo.

"A Pérola vive um grande conflito logo no primeiro capítulo ao descobrir que seu pai é um político corrupto, sofre uma forte decepção por causa do pai, se desespera ao ponto de tentar se matar. E el sofre bulling na escola quando é chamada de ladra pelos colegas, enfim, é uma personagem que traz uma carga dramática muito forte", ressalta Rayssa.

Pérola com colegas do colégio Sapiência. Foto: Globo/Mauricio Fidalgo

Mas a atriz também vê alguns traços da personalidade de Pérola em si própria. "A Pérola é dramática como a Rayssa, mas quando o calo aperta quem não é? É sensível e vai se descobrindo conforme os obstáculos começam aparecer. Ela toma algumas atitudes que eu não tomaria, mesmo assim encontro em vários aspectos ela dentro de mim. Às vezes, a gente está sorrindo, mas por dentro a gente chora. Ninguém sabe o que passa na nossa vida de verdade. E se pudesse tentar definir ela em uma frase seria: 'a Pérola só quer ser amada'”, avalia.

 



Veja Também