Guilhermina Libanio, de Malhação: “Feliz por despertar amor próprio”

Úrsula da trama teen cita importância de se falar em gordofobia na TV


  • 15 de maio de 2018
Foto: Globo/Raquel Cunha


Por Luciana Marques

Ela estuda teatro desde os 11 anos, e cursa faculdade de Artes Cênicas. Agora, aos 20 anos, Guilhermina Libanio curte um momento mais do que especial na carreira: a estreia na TV. E ainda num produto que é o sonho de todo o jovem ator, a Malhação. Nessa temporada, Vidas Brasileiras, a atriz ainda interpreta um papel que está gerando grande repercussão por tratar do tema gordofobia.

Na pele da personagem Úrsula, ela tem que suportar bullying e piadinhas por seu físico dito “fora dos padrões de beleza”. Para a atriz, a trama tem sido uma oportunidade de ela “mergulhar na Guilhermina de alguns anos atrás”. Segundo a própria, não é fácil! Mas o fato de colocar em voga esse assunto tem trazido resultados importantes. “As pessoas estão carentes, elas querem se enxergar, saber que alguém também passa pelo o que elas passam, entende?”.

Nós entendemos e muito! Até porque Guilhermina tem se destacado no papel e passado muito bem esse recado para a sociedade de empoderamento, autoestima...

Confira abaixo a entrevista completa:

Úrsula (Guilhermina Libanio). Foto: Globo/João Cotta

Como foi a sua jornada até chegar à Malhação, acha que aconteceu rápido demais ou foi no momento certo?

Curso Artes Cênicas, e amo a faculdade. Foi lá que eu conheci o Matheus Malafaia, assistente de direção. Ele me indicou para o teste porque achou que eu tinha o perfil da personagem. Acho que as coisas aconteceram no momento certo. Não foi do nada... Estudo teatro desde os 11 anos.

Malhação é o seu primeiro trabalho na TV. Como está sendo estrear num produto tão forte, e que todos dizem que é uma escola?

Está sendo uma experiência incrível. Hoje eu entendo porque dizem que a Malhação é uma escola. Nós aprendemos muito, todos os dias. A equipe também é muito acolhedora, disposta a ensinar e paciente. Todo mundo está ali, junto, tentando dar o seu melhor.

Em algum momento bateu um medo ou receio de, será que eu vou conseguir?

Claro! A insegurança é normal, ainda mais em um primeiro trabalho. A autoconfiança também é uma conquista, sabe? É aos pouquinhos. A cada cena que a gente realiza a gente vai confiando mais no nosso taco.

Foto: Globo/João Cotta

O que tem instigado mais você ao interpretar a Úrsula?

A investigação interna. Fazer a Úrsula é mergulhar na Guilhermina de alguns anos atrás. Fazer esse mergulho é duro, mas é bonito também.

Na trama ela enfrenta preconceito por ser gordinha, e você, já passou por isso?

Nunca passei por isso. Mas acho que o preconceito também está quando eu entro numa loja e não tem a roupa do meu tamanho, entende? Quando as pessoas ligam um físico gordo a um físico doente. Eu nunca sofri bullying, mas essa repressão social sempre existiu.

Como você lida com a autoestima, com o seu corpo?

Eu gosto de estar saudável para poder desfrutar do meu corpo com todo potencial que ele oferece. Tento comer bem e fazer exercício regularmente. Já a autoestima é uma coisa de cabeça. É todo dia. Todo dia você tem que repetir para você mesma o quanto você é bonita, inteligente, capaz...

Gabriela (Camila Morgado ) e Úrsula (Guilhermina Libanio). Foto: Globo/Sergio Zalis

Você hoje representa na TV, num dos produtos mais vistos pelos jovens, uma adolescente gorda. Tem noção que está sendo referência para muitos jovens?

Hoje eu tenho. Pelas mensagens que recebo nas redes sociais eu consigo entender a dimensão de uma personagem como a Úrsula. As pessoas estão carentes, elas querem se enxergar, saber que alguém também passa pelo o que elas passam, entende? Fico muito feliz de estar despertando amor próprio nas pessoas através da Úrsula. Essa com certeza é uma das coisas mais gratificantes de estar fazendo meu trabalho.

Qual o tipo de feedback que você recebe nas ruas, nas redes sociais?

Eu só tenho recebido coisas positivas, cheias de carinho! Mensagens lindas de pessoas que estão nesse processo de empoderamento, gente que sofre bullying e está conseguindo sair dessa situação, mulheres mais velhas que me agradecem por ter uma personagem gorda na TV, pois sentiram falta dessa referência na adolescência. Tenho recebido muito amor!

Guilhermina por Guilhermina, como se definiria? 

Acho que eu me definiria como uma pessoa que quer estar com o outro. Por isso eu sou atriz, sabe? As pessoas me importam. Então, se fosse possível me definir eu escolheria a palavra: pessoas. Tanto pelas várias que vivem aqui dentro, quanto pelas que estão aí no mundo pra gente conhecer.

 



Veja Também