Bruno Montaleone: “Bento paga de experiente, sedutor, mas não é”

Em O Tempo Não Para, ator é uma grata surpresa na pele do poeta


  • 03 de agosto de 2018
Foto: Carlos Armando/Barra Studio


Por Luciana Marques

Em seu terceiro trabalho na TV – antes ele fez Malhação, em 2015, e O Outro Lado do Paraíso, em 2018 -, Bruno Montaleone, de 22 anos, é uma das boas surpresas do elenco de O Tempo Não Para. Na pele do romântico e atrapalhado poeta Bento, logo no capítulo de estreia, ele segurou cenas divertidíssimas ao lado de nomes como Edson Celulari. “Quando me chamaram para o teste, disseram que o papel era a minha cara, porque causa desse lado cômico”, diz.

Mas o próprio ator conta que para ele foi um desafio e tanto. Afinal, como ainda interpretava o bon vivant Johnny na trama de Walcyr Carrasco, ele não conseguiu participar da preparação junto com o elenco da trama. O que lhe ajudou foi a vontade de agarrar a oportunidade e o fato de ouvir atento as dicas do diretor artístico Leonardo Nogueira e de toda a equipe. “Sou jovem, tenho que dar um gás mesmo, aproveitar e trabalhar”, conta Bruno, que namora a estudante de moda Sasha Meneghel.

Bento (Bruno Montaleone). Foto: Globo/João Miguel Júnior

O que tem mais instigado você nesse trabalho?

Esse trabalho caiu um pouco de ‘paraquedas’, porque eu estava ainda para estrear em O Outro Lado do Paraíso, aí me chamaram para o teste dessa, eu fiz, e foi muito legal. Porque falaram que o personagem tinha a ver comigo, e aí eu fiquei muito ansioso, sabendo que era um trabalho mega importante, mas esperei concluir a outra novela. Eu estou muito feliz, o personagem é legal, eles acharam a minha cara porque ele é muito cômico. E é um lugar que eu me sinto confortável em trabalhar, e eu acho que nunca tive a oportunidade de fazer um pouco disso.

Nicolas Prattes é o visionário Samuca: “Aprendo a cada dia”

Sasha declara-se à Xuxa: “Meu maior medo é decepcionar ela"

Como você define o Bento?

O Bento é um poeta da época dos 'congelados', de 1886. Ele apronta muito, faz muita besteira e, naquela época, eram coisas graves. Como já foi exibido no início da novela, ele foi pego pedindo um beijo para a filha do dono das terras, que é o Dom Sabino, a Marocas, que é interpretada pela Juliana Paiva. O Dom Sabino pega ele no flagra, dá um tiro nele. Então, ele é um ser errante, um poeta, bastante romântico.

A situação em si é muito divertida, não é?

Muito! Quando eu li o script, adorei, porque no primeiro capítulo já aconteceu muita coisa. Eu fiquei bem animado.

Depois que eles são resgatados, eles mudam de cara, mudam o figurino?

Eu também ainda não sei, estou curioso para saber, mas eu acredito que vai ter gente que vai resistir mais, falando que vai continuar se vestindo do mesmo jeito, e gente que vai se adaptar mais rápido. Eu acredito que o Bento vai ser um desses que vai resistir.

O que você acha que para eles vai ser mais difícil em termos de adapatação no ano de 2018?

Muitos conflitos vão aparecer. Você imagina que a escravidão naquela época era liberada, a Lei Áurea só foi assinada dois anos depois. Quando eles foram congelados não existia luz elétrica, tinha muita coisa diferente, a gente vai estranhar ver mulheres em cargos altos, e vai aparecer até preconceito. Mas o personagem está em uma época diferente, é um grande choque.

Foto: Carlos Armando/Barra Studio

Que tipo de laboratório você fez?

Eu tinha acabado de sair de uma novela, foi muito em cima, estava intercalando as gravações, sendo que era o final da outra. Então, a preparação que eles tiveram, eu não consegui aproveitar muito por estar gravando. Mas sempre assisto filmes para me ajudar a entrar nesse universo, mas está sendo bastante na raça, ouvindo muito a equipe, o diretor, e se eles estão satisfeitos, eu vou seguindo por esse caminho Mas quando mais você faz, mais pega o pique.

O Bento inicia a novela sendo muito sedutor, rouba beijo da Marocas, ele vai continuar sendo assim em 2018?

O Bento é daqueles que acham que é muito sedutor, mas não é. Ele paga de experiente e não é, esses caras sempre existiram. Então, acho que nada vai mudar, ele é romântico e vai lutar um pouco pela Marocas, porque quando eles descongelam a única pessoa do universo dele que sobreviveu é ela, porque os amigos dele já morreram.

Na caracterização, o que você achou mais difícil, foi o visual, o aplique ou a fala da época?

Sim, a prosódia é diferente, e eu ficava mega nervoso por causa dessa parte da prosódia. É difícil, um linguajar que eu não estou acostumado, nunca fiz nada do tipo. A caracterização é uma coisa que foi tranquilo, o mega hair é algo complicado, meio chato de cuidar, o bigode eu nem sabia que chegaria a esse tamanho, e eu só fui deixando crescer.

Dom Sabino (Edson Celulari) e Bento (Bruno Montaleone). Foto: Globo/João Miguel Júnior

Você é um ator ainda novo, e como é para você ser convidado no final da novela O Outro Lado do Paraíso para um papel tão bacana, porque é uma caminhada difícil essa do início da carreira, né? 

Pois é. Eu só estou aproveitando, porque as coisas estão aparecendo, nem sempre é assim. Mas eu estou em um momento bom. De cara, aceitei, fiquei um pouco desesperado de emendar uma novela na outra, mas eu estou em uma época que eu tenho que dar um gás mesmo, sou jovem, tenho que aproveitar e trabalhar. Então, está tudo acontecendo da forma que eu planejava.

E o que o Bruno tem de parecido com o Bento?

O Bento é um super romântico, eu também sou um pouco, ele é aventureiro, e eu admiro isso, luta pelos sonhos dele. É por aí ,e eu gosto que ele faz muita besteira, acho interessante esse lado dele. Mas eu nunca fiz nada parecido dessas besteiras dele (risos).

Falando desse lado romântico, você já fez loucuras por amor?

A gente faz muita coisa, madrugadas a dentro, escreve carta. Mais de 20 ligações, vai na casa da pessoa, e diz eu te amo, e faz música... Viaja de Rio para Nova York de uma hora para a outra (risos).

Mas sua namorada agora está aqui, acompanhando esse início da novela. A Sasha torce, apoia muito você?

Ela está aqui, de férias. E é muito bom ela estar aqui nesse momento, eu fico mega eufórico, grudado, estamos curtindo muito. E ela torce muito por mim. Todas as minhas inseguranças, eu sempre falo tudo com ela, ela me bota para cima. Ela acredita muito em mim. É a mellhor pessoa que podia estar comigo.



Veja Também