Rafael Coimbra: Após viver comerciante malandro em Gênesis, ele atua no streaming

Ator fala da estreia em novelas, de série teen da Netflix e de trama escrita na quarentena


18 de julho de 2021

Foto: Leo Ornelas

Aos 27 anos, Rafael Coimbra, com formação no teatro, festeja um bom momento profissional também fora dos palcos. Recentemente, ele estreou em novelas, em Gênesis, como o Tito, um comerciante malandro e ganancioso. E agora grava a série teen De volta aos 15, da Netflix. “Acredito que tudo acontece no momento certo, vejo essa oportunidade em Gênesis chegando para mim no momento em que eu estou mais preparado”.

No bate-papo, o ator, que participou da série Impuros e das novelas Rock Story e Malhação: Pro Dia Nascer Feliz, também fala sobre a série que escreveu durante a quarentena. E diz sempre ter tido essa inquietude como ator de se autoproduzir.

Como foi a decisão de seguir a carreira de ator? Não tenho nenhum ator na família, mas cresci com duas grandes referências que me fizeram seguir por esse caminho das artes. A primeira foi minha tia, Claudia, que é apaixonada por cinema e desde muito cedo me apresentou os melhores filmes. E o segundo, foi o pai de um dos meus melhores amigos de infância, o Helio de La Peña, que me fez desde pequeno entender como era o cotidiano de um ator.

Foto: Leo Ornelas

Quais são as suas influências? Costumo dizer que minhas referências são todos os artistas que eu sinto respirarem arte. Poderia citar como exemplo: Al Pacino, Leonardo DiCaprio, Cazuza e Cassia Eller.

Você está rodando a série De volta aos 15, da Netflix. Como tem sido fazer um projeto para o streaming? Eu sempre fui apaixonado pela linguagem que as séries de streaming têm... É algo contemporâneo, que conversa muito com o que eu acredito como atuação. Tem sido um sonho fazer parte desse projeto.

De volta aos 15 é para o público teen e você acabou de fazer Gênesis, um outro tipo de espectador. Como tem sido sua relação com os fãs? Eu acho essa oportunidade que estou tendo única, pois consigo levar para esses dois públicos extremos, visões de mundo que às vezes eles não teriam acesso. Vejo nosso papel como artista, fundamental para abrir a cabeça da nossa sociedade.

Aliás, praticamente estreando na TV, como tem sido pra você lidar com a exposição? Eu tenho tido um retorno muito lindo vindo do público, isso tem só me alimentado como artista. Acho lindo ver o nosso trabalho sendo reconhecido.

Se pudesse voltar aos 15, o que faria e o que diria pra você? Vá ao teatro!!

Em Gênesis, você fez um morador de Sodoma, uma cidade bíblica real. Como foi estudar e se preparar para esse trabalho? Para mim foi a parte mais gostosa de todo o processo, a gente mergulhou em filmes que retratavam o momento que iríamos viver, lemos textos... A própria bíblia foi fonte de estudo. Enfim, foi um estudo muito a fundo por parte do pessoal da preparação para levar o Tito para cena. Eu amei!

Foto: Reprodução Instagram

Você já fez várias participações até de fato ter um personagem em Gênesis. Como foi essa trajetória? Acredito que tudo acontece no momento certo, vejo essa oportunidade em Gênesis chegando para mim no momento em que eu estou mais preparado de toda minha carreira. Todos os meus trabalhos foram assim e eu espero que continue. (risos)

Quais as dificuldades da carreira e quais alegrias ela te proporciona? Trabalhar com o que você sempre sonhou é o caminho mais difícil para qualquer um, seja qual for a profissão... Mas quando você consegue, você não trabalha, essa é a diferença. 

Vimos que você é bem ativo em suas redes sociais. O que acha de produções que escalam elenco por conta de seguidores? Quero acreditar que não, porque isso deixaria de fora centenas de atores talentosos que não tem a mesma visibilidade nas redes sociais, mas entendo que esse é o futuro e por isso tento acompanhar, mantendo minhas redes sociais ativas.

Você também está desenvolvendo como autor uma série para o streaming. Como é criar mesmo diante de situações limítrofes? A série foi escrita durante a quarentena, mas ela não é uma serie pandêmica. Tem sido um sonho ver esse projeto ganhar forma. Essa inquietude como ator eu sempre tive, sempre me produzi. E não é que dessa vez deu certo?

Deixou algum projeto por conta disso da pandemia? Sei que faço parte de uma pequena parcela do país que está trabalhando durante esse período... Isso não representa a realidade, mas durante a quarentena, praticamente não parei, isso me ajudou a lidar com o isolamento.