Galáxia destina Mulher Pepita

Por Diogo Mendes – Pontofervura


  • 01 de março de 2019
Mulher Pepita no clipe de Retrogrado, do duo Phillipi e Rodrigo/ Fatnotronic. Foto: Reprodução YouTube


Bem, a música eletrônica que emana brasilidade nunca andou melhor. O estilo vem encontrando a própria trajetória, quando não, um jeito de mesclar indie e pop com o objetivo de ser unidade – pouco podendo estar só, porque originar sons consiste em arte coletiva.

O videoclipe da música Retrogrado (2019) do duo Phillipi e Rodrigo/ Fatnotronic com participação da Mulher Pepita ultrapassa a experiência psicodélica. Sendo um dos representantes da música eletrônica, por sua vez criada por artistas que viajam na sonorização e mixagem computadorizada.

Tarimbados no cenário, a dupla de djs e produtores Phillipi Alves (Killer on the Dancefloor) e Rodrigo Gorky (Bonde do Rolê), esse último produz a cantora Pabllo Vittar são tendências musicais. No trabalho de Fatnotronic acabam preferindo sonoridades mais próximas da experimentação.

Da geração de artistas dos compartilhamentos e curtidas pela internet, Priscila Nogueira mais conhecida como Mulher Pepita era afamada como meme. Passando o tempo veio ser autoridade no funk com singles Uma Vez Piranha e Olhar 43, além de atrelar notoriedade e ativismo.

Com mais vocal do que os outros trabalhos de Fatnotronic, o clipe de Retrogado inicia por meio de um dilatar da percepção. Nos primeiros frames indicam abertura ocular ao passo que prioriza a voz de Mulher Pepita em menos de quarenta segundos, junto de batidas de acentos marcantes.

Gesticulante, Mulher Pepita interpreta os primeiros versos da letra se fazendo presente: “ Tempo pra parar, parar/ Tempo pra parar pra pensar [...]”. E mais, é centro gravitacional em um universo sem gravidade, dentro dessa própria narrativa não deixando de chamar a atenção para si.

Vestida com uma espécie de túnica, quase toda pintada de dourado, resplandece formando naquela galáxia imaginada um arco íris de onde aportam várias de suas faces. Revelando uma personalidade plural, que todas as pessoas são donas, enquanto levanta a sobrancelha esquerda.

“ [...] Mergulho retrógrado/ Qual impacto/ Veja o horóscopo/ A Lua em contato [...] ”, continuam os versos da canção do clipe Retrogrado – sem acento –  com no máximo quatro palavras ou mínimo duas. Enquanto Mulher Pepita aponta para a câmera refletindo em sequência o refrão.

 

 

Dourada em um fundo entre as cores que remetem a astrologia, e o movimento do universo, quanto a trajetória humana. A mulher trans, Mulher Pepita acolhe os versos e efeitos em computadores da música, que vai emplacando cada parte da faixa, também propondo uma malemolência de Walter Mercado.

Humor, aliás desses artistas, não falta no videoclipe Retrogrado de direção de Rudá Cabral e Rodrigo Gorky. Pouco deixa de apresentar momentos de leveza, talvez esteja no limite da experimentação e suavidade, onde uma mão com uma boca aparece auxiliando o vocal de Mulher Pepita.

Segundo qualquer dicionário, a palavra retrógrado traz o significado da recusa de um processo, manifestações e afins. O clipe da música mostra o oposto, um desenvolvimento irônico, sobretudo: “ [...] (Sol galático, brilha monocromático, é/ Tudo tão fantástico, pra todos os fanático [...] ”.

A terra e outros planetas do universo passam pela presença da Mulher Pepita, e a mesma divisa. Os ganchos e refrãos vão entrando em resolvida harmonia celeste, entre um meio indie e pop, além do eletrônico, nesta dimensão de direção de fotografia de Pedro Barros.

Na metade do clipe de produção de Renata Zanini, a cantora toda de dourado, diferente de sua roupa anterior volta repetindo o refrão e procura um relógio no pulso. Multiplicando-se, depois nos quadros seguintes, até completar a tela. Explosão sideral de Mulher Pepita em Retrogado.

Quase uma flor de lotus, Mulher Pepita começa a girar e girar no clipe, e a canção vai chegando em seu término. A faixa é um trabalho do álbum Paciência (2019) da dupla Fatnotronic, após entusiasmar em outras músicas como Mantra, Corcovado, Gueto da Gent e Bateu.

Galáxia destina Mulher Pepita em um clipe que agrega uma faixa da música eletrônica de uma artista vinda do funk, assim já calha outros projetos na música popular brasileira destinando ainda mais sua marca na história artística, igual o duo Fatnotronic. Pensar, não parando.

Link: https://pontofervura.wordpress.com/2019/02/15/galaxia-destina-mulher-pepita



Veja Também