Edson Cordeiro: “Onde está Regina Duarte?"

Com shows cancelados no Brasil, cantor que vive na Alemanha vê colegas passando dificuldades aqui


28 de abril de 2020

Foto: Gal Oppido

Radicado na Alemanha, Edson Cordeiro estava com passagem comprada para o Brasil, onde realizaria agora 11 shows. Mas com a pandemia da Covid-19, as apresentações foram canceladas ou adiadas, assim como outros shows agendados também na Alemanha. Em bate-papo durante uma live em nosso Instagram, o cantor falou do vídeo postado nas redes sociais onde pergunta “Onde está Regina Duarte?”, referindo-se à Secretária Especial da Cultura.

“Só de ter cancelado os meus shows no Brasil, sete pessoas ficaram sem trabalhar também. De uma certa forma, eu daria emprego para sete pessoas no show de Fado que eu ia fazer em homenagem à Amália Rodrigues, além de outros empregos indiretos. E o Brasil é o meu mercado, eu pago imposto no Brasil, eu também sou afetado. E eu falei no vídeo onde está Regina Duarte, onde estão as pessoas que deveriam cuidar dos nossos artistas, dos meus colegas. Aqui na Alemanha a ajuda também está demorando, acho que o artista fica em último na fila nessa história. Porque a gente não é considerado o trabalhador da forma que se entende mais claramente o que é trabalho. Mas é trabalho e a gente dá trabalho, a gente gera dinheiro”, diz.

Um dos mais versáteis cantores da atualidade, que por sua variedade tímbrica já recebeu títulos na Europa como de A Oitava Maravilha do Mundo e Ave do Paraíso, ressalta que o público costuma só ver o resultado do trabalho de um artista. Mas que a preparação é árdua.

“A gente trabalha para entreter, mas é um trabalho sério. É como eu sempre falo, o nosso trabalho é como o anfitrião de uma festa. A gente faz as pessoas se divertirem, mas a gente é o que menos se diverte. A gente tem que fazer com que a festa dê certo, mas ninguém sabe os bastidores. E eu não faço questão de mostrar, porque o que o público tem que saber é o resultado desse trabalho, não o esforço que se faz para chegar a ele. Agora chegou a hora de mostrar que a cultura no Brasil gera milhões de divisas e precisa se tratar o artista com esse respeito. Por isso eu postei esse vídeo perguntando onde está essa ajuda, onde estão as pessoas que cuidam da cultura. Eu não posso reclamar, eu tenho uma vida maravilhosa, porque aqui a arte é mais prioridade do que no Brasil. Eles entendem que a sociedade precisa do artista. E no Brasil eu tenho amigos que realmente estão passando necessidade”, fala.