Ator e cantor Felipe Montanari lança o clipe da canção Soul Pai

Do elenco de Samantha, ele faz viagem afetiva e homenageia o pai, falecido em 2016


  • 12 de agosto de 2018
Foto: Divulgação


Este domingo, 12 de agosto, Dia dos Pais, foi a data escolhida por Felipe Montanari para lançar o clipe de um trabalho mais do que especial, da canção Soul Pai. De autoria do cantor, a música é uma homenagem ao seu pai, Pedro Montanari, falecido em 2016, mesmo ano em que teve o seu filho, Érico, de 2 anos.

Artista multifacetado, cantor, compositor, instrumentista, Felipe transita entre os gêneros do rock, do pop, do folk e da MPB. O novo EP, Soul Pai, chega 11 anos após o lançamento do primeiro trabalho, Sempre Sou Eu, em 2007. O disco tem quatro canções: É a Chuva, Imortal, Soul Pai e A Melhor Coisa do Mundo.

Felipe também é ator. Ele está no elenco da série Samantha, da Netflix, e já grava a segunda temporada de A Garota da Moto, do SBT.

Foto: Divulgação

Ritmo de João Côrtes: Álbum com regravações e músicas autorais

Ivete Sangalo canta abertura de O Tempo Não Para

CLIPE DE SOUL PAI FAZ VIAGEM NA HISTÓRIA DO ATOR E CANTOR 

Com direção e roteiro de Felipe Montanari, o clipe de Soul Pai faz uma viagem afetiva pela história de vida do ator e cantor. Todas as imagens usadas, em formatos Super 8, VHS, Super VHS, Mini DV e iPhone, são de arquivo pessoal de Pedro Montanari, pai de Felipe, de 1976 a 2010, e do próprio cantor.

“O processo de mexer literalmente na história da minha vida e visitar semanalmente meu pai nos vídeos me ajudou muito a compreender mais de mim, do meu jeito, da minha educação e do que quero deixar pro meu filho”, avalia ele.

 

 

Após testes de ajustes de cor, brilho e contraste, Felipe decidiu manter a qualidade original dos filmes, deixando uma cronologia tecnológica bem evidente. Entre os trechos exibidos, sequências desde que o pai, Pedro, conheceu a mãe do músico, até os dois anos de seu filho, Érico.

“Durante vários momentos sentimos a presença de meu pai enquanto fazíamos a edição. Parece que todo o material que ele deixou estava esperando para ser usado. Um exemplo é quando canto a palavra 'gozar', e o filme que mostra eu no colo da mãe parece queimar por um flash de segundo e em seguida entra minha imagem bebê olhando imóvel pro horizonte enquanto a música diz 'e não se mexer'… Tudo isso, na verdade, é a edição original feita em Super 8, em 1980. E nós a mantivemos intacta”, explica.

O clipe durou mais de sete meses para ficar pronto. Foram decupados 21 DVDs deixados por Pedro Montanari para a família, e passados para o computador. “Depois tivemos que fazer o mesmo com os vídeos de celular onde apareciam o Erico, meu filho, e no final das contas acabamos usando o equivalente a uns 20% do total de imagens que separamos”, conta.



Veja Também