Morre o jornalista Ricardo Boechat de acidente de helicóptero

Âncora da Band deixa 6 filhos. Colegas lamentam a perda.


  • 11 de fevereiro de 2019
Foto: Reprodução Band


Mais uma perda inestimável no país nesse início de ano de notícias tão tristes. O jornalista da Band Ricardo Boechat morreu, aos 66 anos, de acidente de helicóptero, por volta das 12h, nesta segunda-feira, 11 de fevereiro.

Ele retornava de uma palestra em Campinas para os estúdios da Band, quando a aeronave tentou fazer um pouso forçado na Rodovia Anhanghera, em São Paulo, mas foi atingida por um caminhão. O piloto também morreu.

Boechat era casado com a também jornalista Veruska Seibel, desde 2005, com quem teve Valentina, de 12 anos, e Catarina, de 10. Do seu primeiro casamento com Claudia Costa de Andrade, ele deixa Bia, de 40, Rafael, 38, Paula, 36, e Patricia, 29.

JORNALISTA PREMIADO PASSOU PELOS MAIORES VEICULOS DO PAÍS

Nascido na Argentina, Ricardo Boechat iniciou sua carreira nos anos 70 como repórter do extinto Diário de Notícias. Em 1983 ingressou no O Globo. Quatro anos depois ocupouu a secretaria de Comunicação Social do governo Moreira Franco.

Já em 1989 voltou ao O Globo onde esteve à frente da famosa coluna Swann, depois Boechat. Em 1997, ele entrou na TV com um quadro de opinião no matinal Bom Dia Brasil. Já em 2001 iniciava uma trajetória de sucesso no Grupo Bandeirantes.

Na emissora paulista, ele foi diretor de Jornalismo no Rio, depois a partir de 2006 assumiu como âncora do Jornal da Band. Ele também tinha a mesma função na rádio BandNews FM, transmitida para todo o país.

Boechat, que também passou pelos impressos O Dia, O Estado de São Paulo e Jornal do Brasil, foi muito premiado durante a sua trajetória. Entre as condecorações, ele ganhou o Esso na categoria Informação Política, com Rodrigo França, em 1992.

No início do ano ele levou a esposa e as filhas mais novas ao estúdio da Band.

 

????

Uma publicação compartilhada por Ricardo Boechat (@boechatreal) em

JORNALISTAS E AMIGOS LAMENTAM A PERDA

Coube ao apresentador da Band José Luiz Datena confirmar ao vivo a morte do colega. No momento, ele não segurou as lágrimas.

“É um momento muito triste para o Grupo Bandeirantes de Comunicação, para a família Band e para o jornalismo brasileiro. Boechat era indubitavelmente o maior jornalista do país. Confio muito nos desígnios de Deus, mas num momento como esse a gente se pergunta se era essa a forma de terminar a sua história aqui nesse plano. Ele não era só bem visto por vocês, que acompanham, ele era amado pelas pessoas aqui, internamente. Era um cara que saía para jogar bola com a molecada, fazia churrasco com os meninos da mesma forma que falava com políticos”, disse Datena, emocionado.

 

Melhor lembrar dele assim: sorrindo e fazendo o que amava. #ricardoboechat #rip

Uma publicação compartilhada por Fátima Bernardes (@fatimabernardes) em

 

 

 

 

 



Veja Também