Edson Cordeiro de volta com a turnê Fado Tropical no Rio

O elogiado espetáculo ainda terá a participação de Leo Russo


  • 28 de maio de 2018
Foto: Jerônimo Gomes


O cantor Edson Cordeiro escolheu o Rio de Janeiro para uma das últimas apresentações da elogiadíssima turnê Fado Tropical. Considerado um dos mais versáteis cantores da atualidade, e com uma impressionante variedade tímbrica, o artista faz apresentação única nesta quarta-feira, dia 30 de maio, às 21h, no Theatro Net Rio.

“Foi uma turnê de muito sucesso que a gente fez pelo Brasil todo, com esse disco que eu gravei em Portugal, só cantando fado. A gente vai se despedir agora do Rio com esse show”, contou ele, que disse em entrevista recente que o talento no Brasil incomoda.

Em Fado, seu décimo segundo e mais novo álbum, gravado em Porto, Portugal, ele apresenta um repertório rico, refinado e dramático. Acompanhado pelos músicos Wallace Oliveira, na guitarra portuguesa, e Sérgio Borges, no violão, canta os mais famosos fados, entre eles Estranha Forma de Vida, de Amália Rodrigues e Alfredo Marceneiro, Foi Deus, de Alberto Janes, Barco Negro, de David Mourão Ferreira e Matheus Nunes, e Fado Tropical, de Chico Buarque e Ruy Guerra.

 

 

Mas também não ficam de fora sucessos de álbuns recentes do cantor, alguns lançados na Europa, como Paradiesvogel Lovesong, do The Cure, Coração Vagabundo, de Caetano Veloso, transitando do choro à ópera com grandes surpresas.

PARTICIPAÇÃO DE LEO RUSSO

O show no Rio ainda terá um presente daqueles para o público. O jovem talento do samba Leo Russo subirá ao palco com Edson. Ele compôs junto com Luis Pimentel uma das músicas do novo álbum de Edson.

Leo Russo. Foto: Simone Kontraluz

“Como eu estou em estúdio gravando o meu novo CD só de inéditas, eu pensei em convidar o Leo Russo, um dos expoentes do samba carioca, porque ele compôs junto com o Luis Pimentel uma das músicas mais bonitas que eu já cantei, um samba em homenagem ao Rio de Janeiro, que se chama Que Tiro é Esse”, explicou.

Edson conta ainda que conheceu o trabalho de Leo através de uma matéria do jornalista Mauro Ferreira, em que ele explica a comovente história de como Leo se inspirou para fazer essa música. Leo estava num bloco de carnaval na Tijuca e ficou sabendo depois que um garçom (Samuel) de um bar próximo tinha morrido há poucos minutos ali de bala perdida.

“Foi uma coisa muito triste, e o Leo escreveu esse samba como forma de desabafo, de tristeza, de dizer que a gente quer muito que essa situação mude, que o Rio pare de sangrar, seja mais bem tratado”, lembra Edson.

Fado Tropical. Dia 30/05, quarta-feira. Às 21h. Theatro Net Rio. Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso, Copacabana. De R$ 45,00 a R$ 60,00. Classificação: 12 anos.

Veja também:

Edson Cordeiro se pronuncia sobre fala homofóbica de Ratinho. Veja!

Edson Cordeiro rebate críticas de internautas à Pabllo Vittar



Veja Também